Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Quinto domingo da Quaresma: Acolhida, perdão e ternura

Quinto domingo da Quaresma: Acolhida, perdão e ternura
6 de abril de 2019 Centro de Estudos Bíblicos

por MpvM via IHU Online*

“Quando todos se retiram, Jesus assume a proposta de Deus: Ele veio para salvar e dar a vida e espera de nós pecadores o arrependimento e o compromisso com uma vida nova: ‘Eu também não te condeno, vai e doravante não peques mais’.

“Este Evangelho questiona as famílias, as Igrejas cristãs e a sociedade: quando é que as pedras ficarão no chão e todos reconhecerão seus próprios pecados contra as mulheres, os empobrecidos, os indígenas, os negros, a população LGBT e todos os demais excluídos?”

A reflexão é de Terezinha Cotta, rc., religiosa da Congregação Nossa Senhora do Cenáculo. Ela possui graduação e mestrado em Teologia pelo Centro de Estudos Superiores da Companhia de Jesus – CES.

Referências bíblicas

1ª Leitura: Is 43,16-21
Salmo: 125(126),1-6 (R/. 3)
2ª Leitura: Fl 3,8-14
Evangelho: Jo 8,1-11

A Liturgia deste quinto domingo da quaresma nos convoca e conduz a trilhar caminhos novos. Perspectivas novas perpassam as três leituras.

É o próprio Deus que anuncia a libertação tão esperada pelos exilados na Babilônia: “Olhai: vou realizar uma coisa nova, que já começa a aparecer; não a vedes?”

Como os cristãos de Filipos, nós contemplamos no testemunho de Paulo seu abandono ao caminho que havia abraçado de modo tão convicto, para aderir um novo caminho, o conhecimento de Jesus Cristo, com amor, entusiasmo e coragem…

A mulher do Evangelho é convidada pelo próprio Jesus a viver uma vida nova a após escutar uma declaração libertadora: “Nem eu te condeno”.

Acolher esta liturgia em nossa vida é aceitar este desafio de olhar bem e reparar o novo, de abandonar caminhos de outrora para conhecer quem realmente é Jesus, de acolher a vida nova assegurada pela misericórdia do Deus da vida.

A primeira leitura (Is 43,16-21) nos situa no séc. VI a.C., na Babilônia. Os judeus exilados estão decepcionados e abalados na fé, pois a libertação está demorando. É neste momento da história, que surge um discípulo de Isaías, um grande profeta da esperança, que anuncia a libertação e confirma as expectativas do povo, compara a saída da Babilônia e a volta à Terra Prometida com o êxodo do Egito.

Este anúncio começa por recordar a saída do Egito, matriz de todas as libertações: “O Senhor abriu outrora caminhos através do mar…” Mas, alerta que não é para permanecer em um saudosismo que impede de ver o novo: “Não vos lembreis mais dos acontecimentos passados, não presteis atenção às coisas antigas. Olhai: vou realizar uma coisa nova, que já começa a aparecer; não a vedes? Vou abrir um caminho no deserto e fazer brotar rios na terra árida”.

As experiências vividas ao serem lembradas precisam suscitar esperança e atenção aos sinais libertadores do presente. Nosso Deus libertador continua agindo, porque Ele não suporta a opressão de seu povo.

Existem atitudes que podem apressar nossa libertação, caminhos novos que podem nos conduzir à solidariedade, à resistência e à lucidez, para desmascararmos os mecanismos mentirosos que nos querem manter escravizados/as, enganados/as ou confusos/as.

No Salmo 126 (125) o que o profeta anunciou o povo celebrou com alegria. A volta à terra prometida manifestou novamente a fidelidade e compaixão de nosso Deus. Celebremos hoje a ação libertadora de Deus na história, como outrora o povo celebrou, com salmos de ação de graças: “O Senhor fez maravilhas em favor do seu povo. Quando o Senhor fez regressar os cativos de Sião, parecia-nos viver um sonho. Da nossa boca brotavam expressões de alegria e de nossos lábios cânticos de júbilo”.

A Carta aos Filipenses foi escrita por Paulo quando estava preso. É uma carta marcada por muita ternura. Paulo está cheio de gratidão, porque os cristãos de Filipos enviaram-lhe um membro da comunidade para cuidar dele e recursos para as suas necessidades.

Ele está também preocupado com os judaizantes que semeiam dúvidas e confusão, pregando que os cristãos ainda precisam cumprir a circuncisão e obedecer a lei de Moisés. Ele pede aos filipenses que não se deixem enganar e dá o seu próprio testemunho de adesão total a Jesus Cristo (Fl 3,8-14), deixando para trás tudo, e prosseguindo com firmeza esta meta.

É preciso compreender de que bem supremo fala o Apóstolo, este conhecimento de Jesus Cristo. Os termos conhecer e conhecimento no mais genuíno sentido da tradição bíblica, significam “entrar em comunhão de vida e de destino” com uma pessoa. Em nosso seguimento, a conversão é um caminho contínuo, conscientes de que ainda não chegamos à identificação total com Jesus, prossigamos como Paulo, na mesma meta.

O trecho do Evangelho de hoje (Jo 8,1-11), não pertence ao Evangelho de João. De fato, em alguns manuscritos ela apareceu após versículo 38 do cap. 21 do Evangelho de Lucas. Trata-se de uma tradição que foi reconhecida como inspirada por Deus, e para qual foi encontrado definitivamente um lugar, cujo ensinamento eloquente se tornou proverbial.

Estamos diante da insistente estratégia dos adversários de tentar colocar Jesus em contradição com a Lei de Deus para acusá-lo de blasfêmia. Para aqueles escribas e fariseus, na realidade, a mulher não era o foco principal, o que realmente queriam era encontrar motivos de condenação contra Jesus.

A acusação apresentada a Jesus causa indignação por ser parcial, porque o homem que cometeu adultério com ela está sendo poupado. De acordo com a Lei (Lv 20,10 e Dt 22,22-24), ele é tão culpado quanto ela, mas não foi levado a este julgamento.

A atitude de Jesus de silenciar e se inclinar e escrever no chão dá aos seus adversários tempo para reflexão… E ao se erguer ao invés de uma resposta a pergunta deles vem uma provocação: “Aquele dentre vós que nunca pecou atire-lhe a primeira pedra”. E inclina-se novamente e continua a escrever no chão.

O silêncio desconcertante, seguido por esta clara interpelação, leva aqueles homens e a nós também a uma maior profundidade nos julgamentos, ao reconhecimento de nossos próprios pecados e vulnerabilidades. Jesus, somente Ele, poderia condenar aquela mulher e não o fez. Ele foi para ela Boa Notícia, oportunidade de conversão e vida nova.

Quando todos se retiram, Jesus assume a proposta de Deus: Ele veio para salvar e dar a vida e espera de nós pecadores o arrependimento e o compromisso com uma vida nova: “Eu também não te condeno, vai e doravante não peques mais”.

O Pe. Adroaldo Palaoro, em um de seus comentários sobre o Evangelho dominical nos faz refletir sobre o movimento desumanizador que pode nos conduzir a “sociedade do desprezo”. Nesta sociedade o espírito da acusação e de humilhação do outro é um espírito de morte. Ele prossegue explicitando onde encontramos hoje as “pedras na mão”. São “as pedras do whatsapp, do twitter, das mensagens preconceituosas, das fake-news, que bloqueiam o futuro das pessoas através da crítica sem piedade, do desprezo que destrói, da indiferença que congela as relações”.

Neste ano de 2019 celebramos o dia 08 de março com um sentimento muito profundo de pesar e dor pelas numerosas notícias de feminicídio. Este Evangelho questiona as famílias, as Igrejas cristãs e a sociedade: quando é que as pedras ficarão no chão e todos reconhecerão seus próprios pecados contra as mulheres, os empobrecidos, os indígenas, os negros, a população LGBT e todos os demais excluídos?

Não se trata de eliminar os que erram ou de não aceitar diferenças, mas de superar as intolerâncias e as hipocrisias dos que se sentem perfeitos e apresentar o caminho da Misericórdia de Deus, uma possibilidade de vida nova. Esta misericórdia alcança os pecadores públicos, os marginalizados, os desclassificados para devolver a todos a dignidade.

Conteúdo retirado do site do Instituto Humanitas.

 

???? Conheça as novidades da Livraria do CEBI:
Semana de oração pela unidade cristã: “Procurará a justiça, nada além da justiça.” / Ebook PDF
Quem ama torna-se luz: Primeira Carta de João
Apocalíptica nas canções de Chico Buarque
O amor em defesa da vida: a 1ª Carta de João

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya

slot online judi bola terpercaya slot online terpercaya judi bola prediksi parlay hari ini