Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Comentário do Evangelho: A Noite do Natal

Comentário do Evangelho: A Noite do Natal
21 de dezembro de 2018 CEBI Secretaria de Publicações
Leia o comentário do evangelho para o dia 25 de dezembro sobre Lucas 2,1-14, pertencente a Tomaz Hughes (em memória).
Boa leitura!

Esta passagem é típica do estilo de Lucas e contém muito material peculiar a ele. Ele toma as tradições de que Maria e José eram de Nazaré e que Jesus nasceu em Belém, liga-as com as figuras de Augusto, Herodes o Grande e o Governador Quirino, e através destas figuras tece um texto que une oito dos seus temas favoritos: “comida”, “graça”, “alegria”, “pequenez”, “paz”, “salvação”, “hoje” e “universalismo”. Lucas é um verdadeiro artista das palavras evangélicas!

Este trecho pode ser subdivido assim:

  1. O contexto histórico e o nascimento de Jesus: 2,1-7;
  2. Pronunciamentos angélicos explicando o sentido de Jesus: 2,8-14;
  3. Respostas aos pronunciamentos dos anjos: 2,15-20.

A chave para a compreensão do texto se acha nos versículos 11-14. Aqui, Lucas apresenta Jesus como o Messias davídico que trará o dom escatológico de paz, o Slalom de Deus. Assim, ele faz contraste com a figura de César Augusto. Na impotência da sua infância, Jesus é o Salvador que traz a verdadeira paz, em contraste com o poderoso Augusto, que era celebrado no culto oficial imperial como o fundador de um reino de paz, a Pax Romana.

O Slalom é, na verdade, o contrário da Pax Romana como hoje seria o oposto da pretensa “paz” imposta pelos canhões e bombardeiros das forças militares prepotentes. Essa revelação da parte dos anjos é recebida e aceita pelos humildes pastores e meditada por Maria, modelo de fé, e os discípulos, que terão que meditar e aprofundar o sentido de Jesus para eles, sem cessar.

Desde a Idade Média, o presépio tem mantido o seu lugar como um dos símbolos mais caros aos cristãos. Porém, é bom não deixar que a cena do nascimento de Jesus se torne uma cena somente sentimental, com lembranças saudosas da nossa infância. O relato quer sublinhar a opção de Deus que se encarnou como pobre, sem as mínimas condições para um parto digno. Em nossos presépios, parece que até o boi e o asno tomaram banho. A realidade de nascer em uma gruta ou estrebaria era diferente. Jesus nasce em condições semelhantes a milhões de pobres e excluídos pelo mundo afora nos dias de hoje. É mais uma manifestação da fraqueza de Deus, que é mais forte do que os homens (1Cor 1,25).

Diferentemente de Mateus – que tem outros interesses teológicos com a cena dos magos do Oriente – os protagonistas desta cena são os pastores. Naquela época, eles eram considerados pessoas desqualificadas, marginais, sujas, ritualmente impuras. É para essa gente que os anjos revelam o sentido do acontecido e são eles os primeiros a encontrar Jesus recém-nascido. Assim, em Lucas, são pessoas à margem da sociedade que testemunham o nascimento de Jesus. Igualmente, são pessoas desqualificadas, as mulheres, que são as testemunhas da Ressurreição. Lucas não perde a oportunidade para destacar a opção preferencial de Deus pelos pobres e humilhados.

O trecho continua com mais três ênfases tipicamente lucanas: “não ter medo”, “sentir e expressar alegria” e o termo “hoje”. Os ouvintes poderão ter coragem e alegria, porque a salvação de Deus irrompe no mundo “hoje”, não em uma data futura, distante. Esta ideia volta diversas vezes: na sinagoga, depois de fazer a leitura de Isaías, Jesus dirá que “hoje, se cumpriu essa passagem” (4,21); na cena de Zaqueu, Jesus afirma que “hoje, a salvação entrou nessa casa” (18,9); na cruz, Jesus garante que “hoje, estarás comigo no paraíso” (23,43). O Reino da Salvação está sendo inaugurado por Jesus, na fraqueza da exclusão social e não por César, com toda a pompa da corte e das armas. Em uma manjedoura e não em palácio imperial. Por parte de quem carece de força e prestígio e não pelos poderosos e fortes deste mundo.

Os pastores não somente testemunham a presença do recém-nascido em Belém, mas anunciam o que disseram os anjos (v. 17). Essa Boa-Notícia complementa o que já fora anunciado a Maria em Lc 1,31-33, por Maria em Lc 1,46-45, e por Zacarias em Lc 1,68-79. É muito significativo o termo que Lucas emprega para descrever a reação de Maria: “Maria, porém, conservava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração” (v. 19). Aqui, Lucas retrata, através de Maria, a atitude do/a discípulo/a diante dos mistérios de Deus, revelados em Jesus. Maria não capta o significado pleno dos eventos, porém, rumina-os no seu íntimo. A ideia volta de novo em Lc 2,51: “Sua mãe conservava no coração todas essas coisas”. É uma maneira de apontar para a caminhada de fé que Maria trilhou, e que todos nós, que também não captamos o sentido pleno da ação de Deus em nossas vidas, teremos que trilhar.

O texto encerra afirmando que os pobres e marginalizados, personificados nos pastores, “voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo o que haviam visto e ouvido” (v. 20). Qualquer celebração de Natal que não dê aos oprimidos motivo para alegria, coragem e louvor a Deus, pode ser tudo, menos uma celebração cristã.

Texto partilhado pelo autor.

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya

slot online judi bola terpercaya slot online terpercaya judi bola prediksi parlay hari ini