Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Jesus anuncia a Boa Nova de Deus e chama pessoas para segui-lo

Jesus anuncia a Boa Nova de Deus e chama pessoas para segui-lo
20 de janeiro de 2021 Zwei Arts

Leia a reflexão sobre Marcos 1,14-20, texto de Mesters e Lopes.

Boa leitura!

1. SITUANDO

A Boa Nova de Deus foi preparada ao longo da história (Marcos 1,1-8), foi proclamada solenemente pelo Pai na hora do batismo de Jesus (Marcos 1,9-11), foi testada e aprovada no deserto (Marcos 1,12-13). Agora aparece o resultado da longa preparação: Jesus anuncia a Boa Nova publicamente ao povo (Marcos 1,14-15) e convoca outras pessoas a participar do anúncio (Marcos 1,16-20).

Nos anos 70, época em que Marcos escreveu, os cristãos, lendo essa descrição do início da Boa Nova, olhavam no espelho e viam retratado nele o início da sua própria comunidade. Aquela fonte que brotou na vida daqueles quatro primeiros discípulos podia, a qualquer momento, brotar também na vida deles.

2. COMENTANDO

Marcos 1,14: Jesus inicia o anúncio da Boa Nova de Deus

Marcos dá a entender que, enquanto Jesus se preparava no deserto, João Batista tinha sido preso pelo rei Herodes. Diz o texto: Depois que João foi preso, Jesus voltou para a Galileia proclamando a Boa Nova de Deus. A prisão de João Batista não assustou Jesus! Pelo contrário! Ele viu nela um sinal da chegada do Reino. Hoje, os fatos da política e da polícia também influem no anúncio que nós fazemos da Boa Nova ao povo. Marcos diz que Jesus proclamava a Boa Nova de Deus. Pois Deus é a maior Boa Notícia para a vida humana. Ele responde à aspiração mais profunda do nosso coração.

2. Marcos 1,15: O resumo da Boa Notícia de Deus

O anúncio da Boa Nova de Deus tem quatro pontos: (1) Esgotou-se o prazo! (2) O Reino de Deus chegou! (3) Mudem de vida! (4) Acreditem nesta Boa Notícia! (Mc 1,14-15). Estes quatro pontos são um resumo de toda a pregação de Jesus. Cada um deles tem um significado importante:

Esgotou-se o prazo! Para os outros judeus, o prazo ainda não tinha se esgotado. Faltava muito para o Reino chegar. Para os fariseus, por exemplo, o Reino só chegaria quando a observância da Lei fosse perfeita. Para os essênios, quando o país fosse purificado ou quando eles tivessem o domínio sobre o país. Jesus pensa de modo diferente. Ele tem outra maneira de ler os fatos. Diz que o prazo já se esgotou.

O Reino de Deus chegou! Para os fariseus e os essênios, a chegada do Reino dependia do esforço deles. Só chegaria depois que eles tivessem realizado a sua parte, a saber, observar toda a lei, purificar todo o país. Jesus diz o contrário: “O Reino chegou!” Já estava aí! Independentemente do esforço feito! Quando Jesus diz “O Reino chegou!”, ele não quer dizer que o Reino estava chegando só naquele momento, mas sim que já estava aí. Aquilo que todos esperavam já estava presente no meio do povo, e eles não o sabiam nem o percebiam (cf. Lucas 17,21). Jesus o percebeu! Pois ele lia a realidade com um olhar diferente. E é esta presença escondida do Reino no meio do povo que Jesus vai revelar e anunciar aos pobres da sua terra. É esta a semente do Reino que vai receber a chuva da sua palavra e o calor do seu amor.

Mudem de Vida! Alguns traduzem “Fazei Penitência”. Outros, “Convertei-vos ou Arrependei-vos”. O sentido exato é mudar o modo de pensar e de viver. Para poder perceber essa presença do Reino, a pessoa terá que começar a pensar, a viver e a agir de maneira diferente. Terá que mudar de vida e encontrar outra forma de convivência! Terá que deixar de lado o legalismo do ensino dos fariseus e permitir que a nova experiência de Deus invada sua vida e lhe dê olhos novos para ler e entender os fatos.

Acreditem nesta Boa Notícia! Não era fácil aceitar a mensagem. Não é fácil você começar a pensar de forma diferente de tudo que aprendeu desde pequeno. Isto só é possível através de um ato de fé. Quando alguém vem trazer uma notícia diferente, difícil de ser aceita, você só aceita se a pessoa que traz a notícia for de confiança. Aí, você dirá aos outros: “Pode aceitar! Eu conheço a pessoa! Ela não engana, não. É de confiança. Fala a verdade!” Jesus é de confiança!

3. Marcos 1,16-20: O primeiro objetivo do anúncio da Boa Nova é formar comunidade

Jesus passa, olha e chama. Os quatro escutam, largam tudo e seguem Jesus. Parece amor à primeira vista! Conforme a narração de Marcos, tudo isto aconteceu logo no primeiro encontro com Jesus. Comparando com os outros evangelhos, a gente percebe que os quatro já conheciam Jesus (João 1,39; Lucas 5,1-11). Já tiveram a oportunidade de conviver com ele, de vê-lo ajudar o povo ou de escutá-lo na sinagoga. Sabiam como ele vivia e o que pensava. O chamado não foi coisa de um só momento, mas sim de repetidos chamados e convites, de avanços e recuos. O chamado começa e recomeça sempre de novo! Na prática, coincide com a convivência dos três anos com Jesus, desde o batismo até o momento em que Jesus foi levado ao céu (Atos 1,21-22). Então, por que Marcos o apresenta como amor à primeira vista? Marcos pensa no ideal: o encontro com Jesus deve provocar uma mudança radical na vida da gente!

3. ALARGANDO

O chamado para seguir Jesus

O chamado é de graça. Não custa. Mas acolher o chamado exige compromisso. É o momento de entrar na nova família de Jesus, isto é, a comunidade (Marcos 3,31-35). Jesus não esconde as exigências. Quem quer segui-lo deve saber o que está fazendo: deve mudar de vida e crer na boa Nova (Marcos 1,15), deve estar disposto ou disposta a abandonar tudo. Do contrário, “não pode ser meu discípulo” (Lucas 14,33). O peso não cai na renúncia, mas sim no amor que dá sentido à renúncia. É por amor a Jesus (Lucas 9,24) e ao Evangelho (Marcos 8,35) que o discípulo ou a discípula deve renunciar a si mesmo, carregar sua cruz, todos os dias, e segui-lo (Marcos 8,34-35; Mateus 10,37-39; 16,24-26; 19,27-29).

Os discípulos são o xodó de Jesus. No Evangelho de Marcos, a primeira coisa que Jesus faz é chamar discípulos (Marcos 1,16-20), e a última que faz é chamar discípulos (Marcos 16,7.15). Jesus passa e chama. Eles largam tudo e seguem Jesus. Parece que não lhes custa nada. Largam a família. Largam os barcos e as redes (Marcos 1,16-20). Levi largou a coletoria, fonte da sua riqueza (Marcos 2,13-14). Seguir Jesus supõe ruptura! Eles começam a formar um grupo, uma comunidade itinerante. É a comunidade de Jesus (Marcos 3,13-14.34).

Os discípulos acompanham Jesus por todo canto. Entram com ele na sinagoga (Marcos 1,21) e nas casas, sem excluir os pecadores (Marcos 2,15). Passeiam com ele pelos campos, arrancando espigas (Marcos 2,23). Andam com ele ao longo do mar, onde o povo os procura (Marcos 3,7). Ficam a sós com ele e podem interrogá-lo (Marcos 4,10.34). Vão à sua casa, convivem com ele e o acompanham até Nazaré, a sua pátria (Marcos 6,1). Com ele atravessam o mar e vão para o outro lado (Marcos 5,1).

Participam da dureza da nova caminhada. Tanta gente os procura, que já não têm tempo para comer (Marcos 3,20). Eles começam a sentir-se responsáveis pelo bem-estar de Jesus: ficam perto dele, cuidam dele e mantêm um barco pronto para ele não ser esmagado pelo povo que avança (Marcos 3,9; cf. 5,31). E, no fim de um dia de trabalho, levam-no, exausto, para o outro lado do lago (Marcos 4,36). A convivência se torna íntima e familiar. Jesus chega a dar apelidos a alguns deles. A João e Tiago chamou de Filhos do Trovão, e a Simão deu o apelido de Pedra ou Pedro (Marcos 3,16-17). Ele vai à casa deles e se preocupa com os problemas de suas famílias. Curou a sogra de Pedro (Marcos 1,29-31).

Andando com Jesus, eles seguem a nova linha e começam a perceber o que serve para a vida e o que não serve. A atitude livre e libertadora de Jesus faz com que criem coragem para transgredir normas religiosas que pouco ou nada têm a ver com a vida: arrancam espigas em dia de sábado (Marcos 2,23-24), entram em casa de pecadores (Marcos 2,15), comem sem lavar as mãos (Marcos 7,2) e já não insistem em fazer jejum (Marcos 2,18). Por isso, são envolvidos nas tensões e brigas de Jesus com as autoridades e são criticados e condenados pelos fariseus (Marcos 2,16.18.24). Mas Jesus os defende (Marcos 2,19.25-27; 7,6-13).

Distanciam-se das posições anteriores. O próprio Jesus os distingue dos outros e diz claramente: “A vocês é dado o ministério do Reino, mas aos de fora tudo acontece em parábolas” (Marcos 4,11), pois “os de fora” têm olhos, mas não enxergam, têm ouvidos e não escutam (Marcos 4,12). Jesus considera os discípulos e as discípulas como seus irmãos e suas irmãs. É a sua nova família (Marcos 3,33-34). Eles recebem formação. As parábolas narradas ao povo, Jesus as explica a eles quando estão sozinhos em casa (Marcos 4,10s.34).

Na raiz desse grande entusiasmo está a pessoa de Jesus que chama. Está a Boa Nova do Reino que atrai! Eles seguem Jesus. Ainda não percebem todo o alcance que o contato com Jesus implica para a vida deles. Isto, por enquanto, nem importa! O que importa é poder seguir Jesus que anuncia a tão esperada Boa Nova do Reino. Até que enfim, o Reino chegou (Marcos 1,15)!

Resumindo: “Seguir Jesus” era uma expressão que os primeiros cristãos usavam para indicar o relacionamento deles com Jesus e entre eles mesmos na comunidade. Significava três coisas:

1) Imitar o exemplo do Mestre:

Jesus era modelo a ser imitado. A convivência diária com ele na comunidade permitia um confronto constante. Nesta “Escola de Jesus” só se ensinava uma única matéria: o Reino! E o Reino se reconhecia na vida e na prática de Jesus.

2) Participar do destino do Mestre:

Quem seguia Jesus devia comprometer-se com seu projeto e “estar com ele nas tentações” (Lucas 22,28), inclusive na perseguição (João 15,20; Mateus 10,24-25). Devia estar disposto até a morrer com ele (João 11,16).

3) Ter a vida de Jesus dentro de si:

Depois da Páscoa, acrescentou-se uma terceira dimensão: identificar-se com Jesus ressuscitado, vivo na comunidade. “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim” (Gálatas 2,20). Ter a vida de Jesus dentro de si é participar da sua morte e ressurreição (Filipenses 3,8-11).

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya

slot online judi bola terpercaya slot online terpercaya judi bola prediksi parlay hari ini