Reflexão do Evangelho

Converter-se a uma fraternidade sem fronteiras

Converter-se a uma fraternidade sem fronteiras

Leia a reflexão sobre Lucas 15, 1-3, 11-32, texto de Itacir Brassiani

A realidade política, social e cultural que vivemos hoje no Brasil é muito semelhante àquela que Jesus evidencia no evangelho: são dois filhos do mesmo pai, mas o filho mais velho reclama seus méritos, acusa quem vive na miséria e não o reconhece como seu irmão. Há quem tenha até batido panelas cheias e protestado contra a inclusão de gente historicamente excluída. Mas Jesus age como uma espécie de transgressor, beneficiando pessoas que não pertencem ao judaísmo (7,1-10; 10,25-37), acolhendo outras de má fama (5,27-32; 7,36-50), convivendo com pessoas indesejadas e ajudando aquelas que são consideradas impuras (4,38-39; 5,1-16; 7,11-17; 8,26-56).

O filho mais jovem da parábola representa exatamente estes marginalizados e excluídos, menosprezados e perseguidos pelo mais alto mandatário do nosso país. Uma leitura apressada e moralista da parábola põe a atenção na controversa atitude do filho mais jovem: pedir a parte da herança à qual tem direito; esbanjar tudo imprudentemente; arrepender-se e voltar à casa do pai. Porém, o mais importante na parábola é a alusão à situação em que vivem aqueles com quem Jesus se solidariza: são como desempregados num país estranho; mendigam para sobreviver; são tratados pior que cães e os porcos.

Com esta parábola, Jesus chama a atenção para a figura do pai, símbolo da ação de Deus. Sua bondade supera uma justiça que se restringe a dar a cada um aquilo que, segundo a lei ou os costumes, lhe corresponde e, ‘tomado de compaixão’, corre ao encontro do filho necessitado, abraça-o, veste-o e beija-o. O pai não se importa com a confissão daquele que não é mais reconhecido como gente, tanto que sequer permite que a finalize. Para o pai misericordioso, aquele resto humano nunca deixou de ser seu filho, e isso é o mais importante, o que realmente importa.

Deus não trata ninguém como empregado, muito menos como estrangeiro ou devedor. Ele não é contador, nem juiz! Todos são filhos e filhas, e podem usufruir incondicionalmente da sua acolhida e dos seus bens. Na sua casa há lugar para todos! Para os filhos e filhas maltratados e mais necessitados ele reserva as melhores túnicas, o anel com o brasão da família e a festa com carne do novilho mais gordo. No seu projeto, ninguém é excluído nem padece fome. No plano do Pai, as políticas sociais em favor dos pobres e vulneráveis ocupam o primeiro lugar! E isso mesmo que seja verdade que o fim da miséria seja apenas o começo.

Mas, infelizmente, existem cristãos que, por ignorância ou por maldade, murmuram contra a proposta de um mundo diferente e acusam os que ousam ensaiá-lo. Representando os fariseus e escribas, o filho mais velho é o protótipo do cidadão e do crente preconceituoso e observante. Não lhe falta nada, e tem tudo em abundância, mas não esconde que, frente a Deus, se sente credor e cheio de méritos, melhor que todos os demais. Não consegue disfarçar sua raiva diante de um pai que acolhe generosamente o jovem inquieto e necessitado de tudo. Ofende o próprio pai, acusando-o violentamente de ser parcial, avarento e injusto ao decidir acolher o filho em situação de miséria.

O filho mais velho não reconhece aquela criatura miserável e necessitada como sendo seu irmão. Discutindo com o pai, refere-se a ele como ‘esse teu filho’. Mas o pai, depois de afirmar que os bens que o avarento filho julga serem seus na verdade lhe foram doados, insiste que aquele não-cidadão acolhido com festa é ‘teu irmão’. A solidariedade faz da humanidade uma família onde todas as pessoas se reconhecem e protegem mutuamente, e a ação contra a exclusão está intimamente associada à criação e recomposição dos laços sociais, laços de humanidade, ao nascimento como nova criatura, que desconhece a cínica fronteira entre “homens de bem” e “os outros”.

Jesus de Nazaré, peregrino no santuário das dores e esperanças humanas: desejamos ardentemente sentar à mesa do teu Reino, entre os pobres resgatados e os fiéis agraciados. Livra o nosso país do descaso com a pandemia e com os pobres, da violência social, do opróbrio da discriminação e da necessidade de mendigar direitos humanos. Infunde em nós a generosidade daquele pai com um coração de mãe, para que saiamos ao encontro dos oprimidos e os acolhamos festivamente, compartilhando com eles a palavra, a mesa e a missão. Assim seja! Amém!

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya

slot online judi bola terpercaya slot online terpercaya judi bola prediksi parlay hari ini

Seu carrinho está vazio.