Notícias

Juventude reivindica mais voz no sistema político

O Programa Nacional Jovem conversou com o presidente do Conselho Nacional de Juventude, Daniel Souza, sobre o debate que marcou o Dia Internacional da Juventude realizado pelas organizações das Nações Unidas e a Fundação Osvaldo Cruz, com dezenas de jovens de diferentes perfis sociais que participaram de uma roda de conversa na sede da Fundação em Manguinhos, na Zona norte do Rio de Janeiro.
 
A roda de diálogo propiciou várias intervenções de jovens apoiados pelas agências da Organização das Nações Unidas (ONU) e o tema mais marcante foi o de extermínio da juventude negra. Essa é uma preocupação das organizações da socidade civil e também da ONU. O Brasil é o país onde mais matam jovens e, em sua maioria jovens negros, muitos deles por meio da violência policial.
 
“Então, esse foi um tema preocupante, que maneira nós na garantia de direito, no projeto de nação, garantimos antes de tudo, o direito à vida dessa juventude, esse foi um tema prioritário”, diz Daniel. Outros temas relacionados a política pública, cultura e saúde também estiveram em pauta na roda de debate entre os jovens.  
 
O presidente do Conselho Nacional de Juventude concluiu que a juventude brasileira precisa ter voz no sistema político, porque existe um interesse dessa juventude de construir uma política, mas, também uma democracia representativa, um modelo de sistema político que exclui essa parcela da população.
 

No products in the cart.