Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Culto Ecumênico e Sessão na Assembleia Legislativa marcam 40 anos da CESE

Culto Ecumênico e Sessão na Assembleia Legislativa marcam 40 anos da CESE
10 de junho de 2013 Centro de Estudos Bíblicos
Culto Ecumênico e Sessão na Assembleia Legislativa marcam 40 anos da CESE

Um emocionante culto Ecumênico e uma sessão solene na Assembleia Legislativa de Salvador marcaram a celebração dos 40 anos da CESE, a Coordenadoria Ecumênica de Serviço.
 
O Culto Ecumênico foi realizado na Cúria Metropolitana do Bom Pastor, com a presença de diversas lideranças religiosas e organizações ecumênicas. O CEBI colaborou no processo de preparação e na coordenação do culto, que se constituiu em momento bastante envolvente e emocionante.  O texto do Semeador, proclamado pela Pastora Odja Batista, ajudou o grupo a louvar pelos que já se semeou e se colheu nos 40 anos de existência da CESE. Várias agências de cooperação enviaram mensagens e a ICCO (agência holandesa) se fez presente, representada por sua coordenadora regional sulamericana.
 
A sessão fez parte das primeiras atividades da celebração "CESE: 40 anos de luta por Direitos Humanos, Desenvolvimento e Justiça". Na ocasião, estiveram presentes diversas personalidades, entre líderes políticos, representantes dos movimentos sociais, de Igrejas, organizações parceiras, amigas e amigos da CESE. 
 
"A CESE é ousadia. A CESE é resistência. A CESE é transformação", afirmou Eliana Rolemberg, em tarde marcada por depoimentos e testemunhos da atuação histórica da CESE no apoio à luta dos movimentos sociais e democratização do Brasil.
 
"Nós temos a consciência de que a CESE teve um papel muito importante nesses 40 anos, porque esteve o tempo inteiro ligada aos movimentos. Foi uma madrinha da maior parte dos movimentos sociais que surgiu no Brasil: movimento sem terra, de mulheres, quilombolas, dos povos indígenas, entre outros", afirmou João Pedro Stédile, representante do MST, na Sessão Especial de 40 anos da CESE, realizada na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, no último dia 6 de junho.

Os depoimentos emocionantes de Stédile e do Cacique Babau, representante do apoio da CESE aos povos indígenas, levantaram salvas de palmas ao cobrar a ação do governo na defesa dos direitos das minorias políticas, como mulheres, comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas, como a ação mais efetiva contra a exploração predatória dos recursos naturais e os conflitos em terras indígenas.

A Ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), lembrou a presença constante da CESE em sua militância política no movimento negro e de mulheres e, mesmo sem concordar necessariamente com algumas propostas, sempre respeitou a diversidade e esteve ao lado do movimento negro no Brasil, contrariando o que era central na época. "A CESE hoje se constitui como uma parceira importante do movimento negro, principalmente na Bahia. Ela é extremante importante para o trabalho das comunidades negras tradicionais. Portanto, é que digo junto com os demais que aqui estão, que vamos ainda precisar da CESE por alguns anos", afirmou a Ministra.

Também presente na história da CESE por décadas, Anivaldo Padilha, membro do Grupo de Trabalho sobre Igrejas, da Comissão da Verdade, lembrou a atuação da organização na difícil época em que foi criada.  "Nós sabemos que a CESE teve papel importante na luta contra a ditadura e a redemocratização do Brasil. Ela apoiou lutas e continua apoiando os mais vulneráveis. Teve um papel significativo na luta por direitos humanos, pela anistia e tantas outras lutas".

Ao fim da sessão, a CESE lançou seu livro "CESE: 40 anos de luta por Direitos Humanos, Desenvolvimento e Justiça", que narra o contexto político em que foi criada e o trabalho que vem desenvolvendo ao longo de quatro décadas, ao mesmo tempo em que busca ligar essa ação ao desenvolvimento do país.

O Culto e a Sessão contaram com a apresentação da Orquestra Santo Antonio, de Conceição de Coité – BA. Os jovens coiteenses emocionaram os participantes dos eventos. Outra forma de comemoração dos 40 anos da CESE é a exposição "Direitos Humanos em Imagem", composta por 12 peças do artista plástico J. Cunha, que ilustra o apoio da CESE nas diversas áreas ligadas aos Direitos Humanos. A exposição, que ficou na Assembleia Legislativa de 03 a 06 de junho, seguirá para outros locais em breve.