Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

CEBI e editoras parceiras emitem nota conjunta repudiando à proposta de taxação dos livros

CEBI e editoras parceiras emitem nota conjunta repudiando à proposta de taxação dos livros
24 de agosto de 2020 Comunicação

O CEBI, a Paulinas, a Paulus Editora e Faculdade Paulus, a Editora Recriar e  a Editora Unida, juntaram-se  para emitir a nota pública que repudia a intenção do Governo Federal em taxar os livros, alegando ser um “produto de elite”.

Segue o documento :

Nota de repúdio à proposta de taxação dos livros.

Somos editoras que têm compromisso social com seus/suas leitores/as. Trabalhamos com intuito de contribuir no processo educativo, na vivência da espiritualidade e na promoção humana.

Acompanhamos, com preocupação, a proposta do Governo Federal de taxação dos livros.

O argumento de que livro é produto de elite, é revelador da face deste governo e listamos abaixo algumas rápidas argumentações que, ao nosso ver, refutam tal proposição:

01 – Se realmente livro for produto de elite, isso revelaria ainda mais o abismo social presente no país e, taxar os livros, só serviria para ampliar ainda mais a distância entre pobres e ricos no Brasil. Não acreditamos que esta seja uma política a ser seguida pelo Governo Federal.

02 – E se a questão for taxar produtos da elite, o que concordamos pois quem mais tem, mais pode e deve contribuir. Sugerimos então taxar as grandes fortunas e heranças, os aviões particulares, lanchas e outros veículos aquáticos…

03 – Os livros não são e nem podem ser das elites. A democratização e o acesso da leitura a todos/as, é um bem incomensurável para uma nação que quer ser e ter lugar de destaque na economia mundial. Para nós, até mais que isso: a leitura dos livros nos ajuda na leitura do mundo, o processo educativo é muito mediado com este recurso didático e o entretenimento tem nos livros um poderoso aliado. Para além de educação, livro também é cultura.

Além disso:

04 – O mercado editorial já está em crise e uma oneração neste momento significaria uma redução ainda maior neste mercado e nos setores do comércio e de serviços, o que na prática significaria inclusive em demissões em toda cadeia produtiva, de distribuição e de comercialização.

Por tudo isso, somos contra a taxação dos livros, e convocamos a toda população para acompanhar a esta discussão, assim como a se posicionar contra esta postura do Governo Federal encabeçada por Paulo Guedes e Bolsonaro.

 

Brasil, 24 de agosto de 2020.

Assinam a Nota:

Centro de Estudos Bíblicos

Paulinas

Paulus Editora

Faculdade Paulus de tecnologia e comunicação

Editora Recriar

Editora Unida