Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Bíblia e Teatro debate juventudes e meio urbano

Bíblia e Teatro debate juventudes e meio urbano
27 de maio de 2009 Centro de Estudos Bíblicos
Bíblia e Teatro debate juventudes e meio urbano

Nos dias 16 e 17 de maio aconteceu em Santana do Livramento/RS (cidade que faz fronteira com Rivera, no Uruguai) o primeiro evento do CEBI-RS no ano para jovens: Bíblia e Teatro – Juventudes e Meio Urbano.

Para desenvolvê-lo, foi utilizado o livro escrito em mutirão pelo CEBI-MG: "1ª Carta aos Coríntios – Desafio da cidade grande aos cristãos". As noções de teatro foram desenvolvidas pelos parceiros da ONG Trilha Cidadã, entidade oriunda da PJ Católica Romana. Sobre juventudes, forma apresentados alguns dados do livro Retratos da Juventude Brasileira (Ed. Fundação Perseu Abramo). Depois, abriu-se espaço para que a juventude brasileira e uruguaia (estavam presentes católicos e luteranos dos dois países) discutisse o significado da pesquisa.

Os textos utilizados foram os de 1Cor 11,17-34 (Paulo denuncia que há divisões à Mesa, nas Ceias da comunidade em Corinto), 1Cor 12,4-11 (vários dons, um mesmo Espírito – para falar sobre diversidade) e 1Cor 12,12-30 (membros diferentes do mesmo Corpo) e os jovens discutiram de que forma estes textos poderiam iluminar sua realidade juvenil.

Os jovens chegaram à conclusão de que o conflito geracional (adultos X jovens) existe em função de a sociedade ser adultocêntrica e pressionar os jovens a todo momento para que respondam à pergunta: "O que você vai ser quando você crescer?"

Embora a juventude esteja em evidência na mídia – e há que se perguntar: "Que juventude é essa? A juventude que pega ônibus todo dia pra trabalhar, ou a Juventude que os pais deixam de caminhonete na porta da escola?" -, o que o mundo adulto quer dela é que estude para ser o adulto de amanhã. Chegou-se, ainda, à conclusão de que o adulto não cobiça ser jovem, mas sim ter a energia vital e estética que os jovens possuem.

Para sair desse dilema, foi importante descobrir que o caminho não é se opor ao mundo adulto, mas sim criar espaços para que se mostre a importância do jovem na sociedade. Afinal, o jovem é consciente, tem posição política definida, questiona os valores e contra-valores estabelecidos, não tem muita dificuldade em mudar de opinião e rever seus conceitos etc. Para conquistar este espaço, é preciso que sua voz se faça ouvir, ou seja: que o/a jovem não deixe de exercer seu protagonismo juvenil.

Concluiu-se o trabalho com a construção de uma peça teatral. Os jovens mesmos criaram a peça, propiciando que a mensagem dissesse o que o/a jovem pensa – contrariando as atividades habituais, onde o normal é ouvirmos o que se pensa do/a jovem. Ficou evidente, durante o curso, o quanto as artes são ferramentas poderosas no campo da comunicação, principalmente no meio juvenil urbano. Há uma proposta, aliás, que se vá além do teatro: que se pense também na música, no grafite, em produções televisivas etc.

O curso será realizado em outras regiões do estado, em duas ou mais etapas. Mas esta não será a única atividade com os jovens. Está-se realizando, ainda, encontros sobre Bíblia e Juventudes, uma vez por mês, em Campo Bom/RS. Continua-se buscando uma leitura jovem da Bíblia, sem deixar de lado a proposta de leitura popular do CEBI.