Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Pastora da Holanda e sua experiência no CEBI

Pastora da Holanda e sua experiência no CEBI
6 de julho de 2016 Centro de Estudos Bíblicos
Pastora da Holanda e sua experiência no CEBI
Durante um ano e meio, esteve conosco Sietske Blok, pastora da Igreja Protestante da Holanda. Esse projeto foi possível graças a uma parceria entre a Kerk in Actie, uma entidade ecumênica da Holanda, e o CEBI. Sua presença foi uma riqueza para nós. Ao mesmo tempo, foi um tempo de semeadura da Palavra e que certamente também gerará frutos nas comunidades eclesiais da Holanda.
Na sequência, você pode acompanhar essa experiência nas palavras da própria Sietske.

No início de fevereiro de 2015, eu cheguei no Brasil. Fui enviada por Kerk in Actie e a Igreja Protestante da Holanda para fazer uma experiência com CEBI, com a leitura popular da Bíblia. No final de junho de 2016, eu voltei para meu país.
Num primeiro momento em Brasília, estudei português e as culturas do povo brasileiro,  durante quase 3 meses. Depois, fui morar em Salvador. Viajei bastante a fim de participar no maior número possível de encontros e seminários do CEBI. Tive a oportunidade de visitar cada região do Brasil, o que foi uma grande riqueza.
 
""
 Na foto: Sietske (à direita) com o grupo do CEBI-PA
 
Percebi que o CEBI é um lugar de solidariedade e de amizade, de tolerância, de luta e de ecumenismo. Esta vivência tem muito significado para as pessoas que participam.
Percebi que CEBI não é mais tão grande, mas continua uma voz da resistência na sociedade brasileira. É voz de mulheres, de negros, de indígenas. Uma voz que está lutando pelos direitos de todo mundo.
Considero importante estudar e ler a Bíblia com tudo mundo, pobres e ricos, mulheres e homens, para abrir os olhos e pensamentos de todos e começar um processo de ampliação da consciência.
Aprendi a ficar no chão antes de ler a Bíblia. Ter o compromisso com as pessoas, com a comunidade. Ser sensível e consciente das interpretações que sempre têm uma agenda.
 

""
 
Fiquei com várias comunidades de irmãs. Foi sempre uma alegria, vivermos fortes momentos de ecumenismo. Foi impressionante para mim ver o compromisso delas com a gente nas margens da sociedade.
Tomei consciência  da importância da profecia e da vocação da igreja para ser sempre profética.
Aprendi a valor do trabalho do grupo. Para ler juntos e juntas, para ouvir as outras pessoas. É um trabalho mais devagar, mas importante. Porque todos e todas nós temos alguma coisa importante para dizer sobre a vida e sobre um texto da Bíblia. A caminhada lenta também é um desafio. Foi difícil para mim, mas também foi bom para ir mais devagar,  tentar perceber mais, experimentar e treinar a paciência. É um outro jeito.
Gostei muito dos cursos da leitura feminista. Eu já soube sobre esse jeito de ler quando estudei teologia. Com CEBI, eu aprendi mais.  Penso que é muito importante para ser consciente da linguagem que nós usamos, quais histórias nós lemos, como nós interpretemos. Vai ser um desafio para conscientizar a gente na Holanda. E nunca é fácil, em qualquer lugar do mundo.
Agora, tenho esperança de que vai ter boas oportunidades na Holanda para introduzir comunidades  nessa metodologia de VER, JULGAR, AGIR. Certamente é uma boa ajuda para ligar a igreja mais com a vida da sociedade. Pode abrir os olhos para ler a Bíblia de modo diferente.
Sou uma pastora duma igreja reformada da Holanda. No Brasil, fiquei fora de minha zona de conforto. Porém, essa experiência vai ficar comigo a  vida inteira, e vou ser uma pastora diferente.
Agradeço a cada pessoa, comunidade  e grupo pela acolhida que recebi.
Por Sietske Blok
 
 
""
 
 
""