CEBI em destaque

DABAR VI: Turma realiza reencontro para debater a intolerância e a resistência

“A intolerância nasce de um tripé: medo, ignorância e preconceito”.

Essa foi a constatação das pessoas participantes do reencontro do DABAR VI. Reunido em Fortaleza o grupo refletiu sobre a crise do país, o aumento das intolerâncias e os possíveis caminhos em momentos tão difíceis.

Abaixo, o relato de Amélia Hakme Romano, de Campo Grande/MS.

Estivemos  reunidos em Fortaleza (CE) de 21 a 23 de Julho de 2017, na Casa da irmã Iolanda. Foi um reencontro da turma do DABAR VI, com momentos de partilha da vida e de aprofundamento bíblico.

No primeiro dia, 21, partilhamos a vida contando sobre as alegrias, as tristezas e as nossas inquietudes diante do momento atual em que vivemos. Refletimos: quais “os grilos” que escutamos em nossas comunidades, principalmente os relacionados às intolerâncias políticas, étnica, religiosa, de gênero, entre outras?

Nesse momento de profunda crise no Brasil, fechamos o dia refletindo e sentindo o Salmo 137(136) sobre o exílio.

No segundo dia, 22, iniciamos a manhã entoando cantos de resistência em meio as flores recolhidas da casa e cangas coloridas colocadas em nosso altar, que mostravam os diversos caminhos para se lidar com a diversidade.

Com a facilitação de Pedro Rodrigues refletimos sobre o tema da intolerância.  Fizemos memória da nossa história de luta, tais como: Cabanos, Canudos, Palmares, Revolução Farroupilha, Guerra do Contestado entre outras.

Percebemos que a intolerância surge de um tripé: medo, ignorância e preconceito.

Levantou-se a importância da construção da identidade de uma pessoa a partir da identidade do outro.

Um exemplo: somente me percebo católico quando sei que existem evangélicos, judeus, budistas; semente me reconheço brasileiro quando encontro pessoas de cultura nigeriana, esquimó, sueco e outros …

Cinema para pensar

O filme “Intolerantia” clareou nossa compreensão.  O estudo reforçou a necessidade de retomar as questões de poder, preconceitos e intolerâncias sejam elas étnicas, de gênero, religiosas ou sociais dentro dos grupos de base como também na política.

No domingo, o texto de Isaias 43 colocou-nos junto à crise do povo durante o exílio. A certeza de que Javé está com ele (conosco também) mesmo no perigo de se afogar ou de se queimar. A experiência da pequena luz, da faísca no meio da escuridão lembra que mesmo com pouca luz é possível caminhar.

O grupo pensou algumas estratégias para trabalhar as intolerâncias:
  • Reforçar e animar as dimensões de e política nas escolas bíblicas, grupos e movimentos sociais;
  • Retomar as questões de relações de poder, preconceitos e intolerâncias sejam de étnicas, gênero, religiosas ou sociais dentro dos grupos de base;
  • Reforçar dentro do CEBI os momentos de convivência, onde a inclusão e o respeito pelo diferente precisam ser fomentados e exercitados.

Nosso próximo encontro acontecerá nos dias 19 a 22 de julho de 2018, na cidade do Rio de Janeiro, com a temática Desafios Urbanos à luz da Cor.

Concluímos cantando “Tecendo”, de Edilson Barros, e vivenciando na espiritualidade pontos importantes da dimensão de inclusão e de respeito às diferenças. Dar as mãos, romper barreiras, cuidar da vida e conviver se acolhendo.

Tecer a ternura, tecer a luta, tecer a paz.

Participaram das atividades: Fátima Alves, Francisco Helton Rodrigues Melo e Thiago Valentim, do Ceará, Pedro Rodriguez, Ângela Valderrama, Lucas Valderrama do RJ e Amélia Romano, do Mato Grosso do Sul.  No sábado contamos com a presença de Luis Sartorel, do CEBI CE.

situs judi bola AgenCuan merupakan slot luar negeri yang sudah memiliki beberapa member aktif yang selalu bermain slot online 24 jam, hanya daftar slot gacor bisa dapatkan semua jenis taruhan online uang asli. idn poker slot pro thailand

Seu carrinho está vazio.

mersin eskort