Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

6º Domingo após Pentecostes (Lucas 9.51-62)

6º Domingo após Pentecostes (Lucas 9.51-62)
20 de junho de 2016 Centro de Estudos Bíblicos
6º Domingo após Pentecostes (Lucas 9.51-62)
Saudação:

Por quantos caminhos vocês passaram para chegar até aqui.   São muitos os caminhos que nos trazem até a casa de Deus. Quem estava com vocês neste caminho até aqui? Quantas pessoas passaram pelo mesmo caminho, mas em direção contrária? Quantos vieram para o mesmo lugar, mas não tiveram tempo de aproveitar o caminho para conversar? A vida é cheia de caminhos! Estamos todos a caminho. Que bom que hoje todos nós saímos a caminho da casa de Deus. Sejam bem vindos.

HPD: 124 – Deus está presente…

Intróito:

Estamos reunidos aqui em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
Elevamos nossos olhos para os montes e nos perguntamos de onde nos virá o socorro? O nosso socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra. Exaltemos o nome de Deus, pois: "Jesus Cristo diz: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

Por isto, Cantemos louvores ao trino Deus: Glória seja ao pai…

Confissão de Pecados: Senhor, em nossa vida somos capazes de escolher muitos dos caminhos que devemos seguir. Quase sempre escolhemos os caminhos mais confortáveis e fáceis. Sempre que possível tomamos atalhos, mesmo que estes prejudiquem outras pessoas. Senhor, escolhemos o caminho do egoísmo, da cobrança, do descomprometimento, da ausência de solidariedade. Ajuda-nos a buscar teu caminho de amor, perdão e misericórdia. Ajuda-nos a andar em teus caminhos.  Por isto te pedimos: Tem piedade de nós senhor… Absolvição: "Eu vim para buscar e salvar o perdido." Amém!

HPD: 150 Se sofrimento…
 
Leitura Bíblica: 1 Reis 19.19-21 e Gálatas 5.1, 13-25
Aleluia.

Confissão de fé.

HPD: 90 – Deus o teu verbo…

Prédica
Introdução:

Queridos/as irmãos/ãs
1. A imagem do Caminho na vida do povo de Deus
Toda a história do povo de Deus é a história de um povo a caminho. Se olharmos com muita atenção, veremos que o povo de Deus era um povo errante. Isto é, um povo que não tinha caminho certo. Foi assim que Deus encontrou Abraão: vagando por terras desertas sempre a procura de pasto, água e comida.  No entanto, Deus acompanhou e orientou Abraão no caminho, o caminho de Canaã, da terra prometida. E foram muitos anos a caminho.

Neste caminhar o povo de Deus foi parar no Egito, foi feito escravo. Mas Deus enviou Moisés para libertá-lo. Moisés mostrou um novo caminho. Só que era um caminho de mares por atravessar, e desertos. Curioso, é que no deserto nenhum caminho é permanente. O vento pode apagar os rastros, mudar os montes de lugar. Por isto Deus guiou o povo com uma coluna de fogo à noite e uma coluna de nuvens durante o dia. Deus não deixou seu povo à beira do caminho.

Deus caminhava no Jardim do Éden à procura de Adão e Eva. Deus vem ao encontro de Seu Povo.  Jesus caminhou com os seus, entre o povo que Deus escolheu para ser seu povo.  Jesus se apresentou como o caminho… Mas neste trecho do caminho, acontece algo muito interessante.

O texto previsto para hoje nos conta uma das histórias que aconteceram no caminho de Jesus. E é muito importante perceber que em toda a história de Jesus, ele está sempre a caminho. Ele caminha com os seus em direção ao Reino de Deus. Durante grande parte de sua vida Jesus esteve a caminho e neste caminhar chamou pessoas para serem seus discípulos. Encontrou com pessoas caídas à beira do caminho; espíritos maus se confrontaram com ele.  São poucas as histórias de Jesus em que Ele não esteja a caminho de algum lugar. Vejamos com atenção o que acontece neste trecho do caminho:    

Leitura do Texto: Lc 9.51-62

Gostaria de destacar alguns aspectos do texto que nos ajudam a compreender o significado do caminho na vida do povo de Deus.

2. Jesus fica a beira do caminho

Na primeira parte de nosso texto acontece algo que revela dois aspectos de nossa vida: a) Não temos lugar para Jesus em nossas vidas; e, b) Não sabemos o que Jesus espera de nós. Em primeiro lugar podemos ser comparados ao povo da Samaria. É muito curioso que Jesus sempre tratou com especial atenção os samaritanos. Eles, na parábola do bom Samaritano, são vistos como aqueles que cumprem a vontade de Deus: o amor verdadeiro ao próximo. E é uma mulher Samaritana que Jesus encontra junto a um poço, e que prega sua palavra adiante. Mas no caso do texto de hoje, os samaritanos não encontram lugar para Jesus. Acredito que nós somos todos um pouco parecidos com eles. E embora reconheçamos muitas vezes que temos mais do que merecemos, pois Deus nos dá saúde, família, filhos, etc…  Ainda assim, nossas vidas não estão abertas para receber Jesus a todo instante.

Jesus fica de novo à beira do caminho, como ficaram Maria e José. Jesus fica de novo sem casa, como ficou no seu nascimento. Jesus fica de novo fora de nossas vidas quando falam mais alto nossos preconceitos e interesses próprios. Os samaritanos tinham uma rivalidade muito grande com os Judeus. E Jesus era judeu. Ele ficou de novo sem casa. Da primeira vez, foi por causa do poder! Agora, por causa do preconceito.

Mas tem mais! Esta história tem no seu centro outro episódio. Os discípulos de Jesus se revoltam. Querem destruir a cidade, por que ela não acolheu Jesus. Eles dizem: Se quiseres, mandaremos descer fogo do céu sobre ela. De onde eles tirariam tamanho poder. Se olharmos algumas páginas para trás na Bíblia, veremos que há bem pouco tempo eles não tinham poder para expulsar um demônio, mas agora teriam poder para destruir uma cidade? Creio que somos todos assim. Quando se trata de julgar e condenar, somos todos rápidos. Somos hábeis em apontar os defeitos: sejam eles de nossa comunidade, de nossa família, de nossos amigos. Somos também muitos bons para fazer cobranças. Exigimos a perfeição em tudo o que os outros fazem. Ainda mais se pagamos para receber. Se for preciso somos capazes de fazer chover fogo do céu!  Mas somos pobres em misericórdia, em compreensão e colaboração.

E pensando com cuidado… Bem feito para os discípulos! Eles foram repreendidos por Jesus, pois parece que a fé deles estava presa a certos moldes, a certas práticas e não havia espaço para outra compreensão. Mas depois me dei conta que este texto também fala pra mim, para você! Nós todos estamos sendo repreendidos, assim como o foram os discípulos. É necessário dar mais espaço em nossa vida para a misericórdia.
E é exatamente aqui que o texto nos pega como comunidade. Nós somos comunidade Evangélica. Somos seguidores de cristo. E muitas vezes tenho a impressão que ainda não aprendemos que estamos a caminho. Precisamos sair de casa. Sair de casa para vir à igreja, para participar da vida comunitária, pois assim como foi com os discípulos, é durante o caminho que Jesus quer nos ensinar.

Não seríamos igreja no Brasil, se nossos pais não tivessem saído de casa. Assim como o povo de Deus precisou sair à procura da terra prometida, assim também nossos antepassados vieram ao Brasil em busca de seus sonhos de um mundo melhor. As promessas feitas naquele tempo foram de terra boa, toda a ajuda, mas na verdade, encontramos muitas dificuldades, sofrimento e abandono. Mas Deus esteve conosco. E acredito que foi pra isto que Deus nos chamou para cá: Para sairmos de casa! Acho bonito que sejamos Igreja no Brasil. O que nos identifica não é uma bandeira, um solo, mas, acima de tudo o Evangelho.

Não guardem e o evangelho em casa. Não escondam de vocês mesmos a misericórdia de Deus.  Não sintam vergonha de sua fé no amor e na misericórdia. Em todos os caminhos de nossa vida, Deus está conosco! Amém.

HPD: 117 – Jesus pastor amado
Avisos:…
HPD: 245 – Louvor cantai

Oração Final

HPD: 286 – Obrigado pai celeste