Reflexão do Evangelho

Todo Dia é Natal em Alguma Periferia!

“E aconteceu que, nesses dias, saiu um decreto do imperador Augusto, ordenando o recenseamento de todo o mundo. Este foi o primeiro recenseamento, feito quando Quirino era governador da Síria. E todos iam se alistar, cada um na própria cidade.  Também José subiu da cidade de Nazaré da Galileia para a Judeia, à cidade de Davi, chamada Belém, porque ele era da casa e da família de Davi. Foi se inscrever com sua esposa Maria, que estava grávida. Enquanto eles estavam aí, completaram-se os dias para o parto. Ela deu à luz seu filho primogênito. Envolveu-o em panos e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na sala.

Na mesma região, alguns pastores estavam nos campos e durante a noite cuidavam de seu rebanho. Um anjo do Senhor apareceu a eles. A glória do Senhor os cercou de luz, e eles ficaram apavorados. Mas o anjo lhes disse: ‘Não tenham medo! Porque eis que lhes anuncio a Boa Notícia, uma grande alegria para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vocês um Salvador, que é o Messias e Senhor. Isto lhe servirá de sinal vocês encontrarão um menino envolto em panos e deitado numa manjedoura.” E de repente uma multidão do exército celeste juntou-se ao anjo, e louvavam a Deus, dizendo: ‘Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos que ele ama’

Assim que os anjos os deixaram, em direção ao céu, os pastores disseram entre si: ‘Vamos logo a Belém para ver o que aconteceu, que o Senhor nos fez saber.’ Partiram depressa e encontraram Maria, José e o menino deitado na manjedoura. Ao ver o menino, contaram o que lhes tinha sido dito a respeito dele. E todos os que ouviam os pastores ficavam maravilhados com o que eles contavam. Maria, por sua vez, guardava todas essas coisas, meditando-as em seu coração. E os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como tinha sido dito a eles.” (Lc 2,1-20 – na versão da nova Bíblia Pastoral)

 

Nas Memórias que as comunidades de Lucas nos deixaram sobre Jesus e seu Projeto libertador, ficaram registradas algumas cenas muito interessantes, relacionadas ao evento da Natividade de Jesus. Vamos realçar alguns aspectos dessas memórias deixadas por essas comunidades.

O texto que ouvimos está situado numa parte do evangelho chamada de narrativas da infância de Jesus ou Evangelho da infância.  Essas memórias, bem como todo o texto do Evangelho, devem ser situadas a partir dos anos 80 da era comum. Portanto, são textos da segunda geração das seguidoras e seguidores de Jesus. Nesse período muitas comunidades estavam organizadas nas diversas regiões do império romano. Elas passavam por uma fase de organização interna e também de sistematização de algumas informações sobre Jesus. É importante sempre termos presente que são narrativas teológicas e não historiográficas. Essas narrativas auxiliam na organização dessas comunidades espalhadas por todo o território do Império Romano.

As pessoas destinatárias dessas memórias participavam das comunidades de tradições Paulinas, vivendo em realidade urbana, provavelmente em alguma cidade grande daquela época, cidade de cultura grega e romana. Enfim, estamos tratando de uma realidade bastante diferente do contexto da Palestina. Daí a importância de não nos apegarmos a elementos históricos e geográficos do texto. Mesmo assim, vamos fazer a reflexão a partir de dados que a comunidade fez questão de demarcar no seu relato.

A primeira questão apontada no texto é de uma decisão dos poderes de Roma sobre a vida do povo.  A realidade que está presente no texto é que a partir de decisões dos Poderosos de Roma a vida dos pobres é revirada. As pessoas precisam se locomover, sair do seu lugar para cumprir ordens políticas das autoridades daquela época. É isso que a comunidade quer trazer quando menciona o decreto para o recenseamento. Os poderosos interferem na vida das pessoas empobrecidas, no intuito de mantê-las debaixo de seu poder.

A próxima cena apresentada na narrativa é muito importante e fala forte em nós, nesta data especial da Natividade de Jesus. É a cena do lugar onde Maria, mulher grávida, acompanhada por José, seu companheiro, vai dar à luz ao menino. O texto diz que não havia lugar dentro da casa para eles. Por isso, Jesus, o menino, nasceu e foi colocado numa manjedoura, entre os animais, num local onde se colocava o alimento para eles.

A Outra cena importante que a comunidade de Lucas menciona é o espaço dos pastores e pastoras, recebendo a boa notícia do nascimento deste menino Salvador. Pastoras e pastores, nesse tempo, eram pessoas excluídas da sociedade. Devido à profissão que exerciam eram consideradas pessoas não dignas de estar no meio dos grupos da sociedade da Palestina, viviam a maior parte do tempo fora da cidade. É a essas pessoas trabalhadoras que o anúncio da Boa Notícia é feito. Elas louvam à Divindade por serem destinatárias dessa Boa Notícia.

E o texto aponta para a próxima cena, retornando para o local do Nascimento. Agora se juntaram as diversas categorias empobrecidas daquele tempo. Ali encontramos Maria com o menino deitado na manjedoura, no cocho; encontramos o pai, José; encontramos as pastoras e os pastores que receberam a notícia e não hesitaram em se dirigir a Belém para ver o acontecimento que lhes foi anunciado.

É uma cena de partilha da vida entre pessoas a quem era cotidianamente negada a possibilidade de vida digna. As pessoas excluídas, unidas, partilhando os sinais da boa notícia da Libertação. É uma cena, no mínimo, estranha aos olhos de gente que ocupava os espaços de poder e que esperava o libertador vindo de outro lugar e de outra forma. No entanto, essa foi a forma da divindade se fazer humanidade.

A narrativa é concluída com a pessoa de Maria, a menina de Nazaré, que agora é a mãe daquele que vem para libertar as pessoas oprimidas. Como deve estar confusa a cabeça dessa menina e angustiado o seu coração! ‘Ela guardava todas essas coisas, meditando-as em seu coração’. Ela não tem as respostas sobre como será daí em diante. Mas sabe, que a partir do seu corpo de mulher, ressurge a esperança.

É o início de um novo tempo! Pessoas empobrecidas gerando libertação, anunciando a vida nova, anunciando que nasceu para nós quem vai fazer acontecer a libertação desejada.

Este é o anúncio revolucionário do Natal: é tempo de animar a luta, é tempo esperançar, de anunciar que é possível enfrentar os poderes opressores e que a partir das pessoas empobrecidas e excluídas nós podemos construir tempos novos. A divindade que cremos se fez gente, se fez criança na periferia de Belém e veio morar entre nós, nas periferias do mundo todo. Todo dia é Natal em alguma periferia! Hoje é Natal!

 

Fatinha Castelan – Vila Velha -ES

Facilitadora de Leitura Popular da Bíblia no CEBI-ES;

integrante da Direção Nacional do CEBI.

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya

slot online judi bola terpercaya slot online terpercaya judi bola prediksi parlay hari ini

Seu carrinho está vazio.

×