Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Ser tão sertão e o Cerrado brasileiro

Ser tão sertão e o Cerrado brasileiro
12 de setembro de 2018 CEBI Secretaria de Publicações
blank

por Marcelo Barros publicado em CEBs do Brasil*

O Cerrado brasileiro é o segundo maior bioma do país, sendo apenas menor do que o bioma Amazônia. Está presente em todos os estados do Centro-oeste e ainda em estados do Nordeste e do Sudeste. Entretanto, de todos os biomas brasileiros é o mais ameaçado. Dos seus originais dois milhões de quilômetros quadrados, restam apenas 20% e esses mesmos estão seriamente ameaçados de desaparecer pela invasão do agronegócio. Esse quer transformar o Brasil em um imenso campo de soja transgênica, depois de haver criado pastos mais extensos do que alguns países da Europa.

Na semana passada, os movimentos sociais e ecológicos comemoraram no 11 de setembro mais um “dia do Cerrado”. Eles reafirmaram a necessidade de que se estabeleçam na região do Cerrado programas criativos e, para essa região, de certo modo, equivalentes aos que no sertão do Nordeste se chamam de “convivência com o Semiárido”. É um modo amoroso e, podemos dizer espiritual, de se relacionar com o bioma que o respeita e dialoga com a Terra. Diz respeito ao uso da água, ao tipo de cultivo e modo de viver comunitário naquela região.

O sertão é mais do que uma característica do Semi-árido Brasileiro. Incrusta-se no coração de cada ser humano, moldado por aquelas paisagens sem fim. Evidentemente, existe a recíproca que fazia Luiz Gonzaga, com o seu vozeirão, repetir na clássica Asa Branca: “Quando o verde dos teus olhos se espalhar na plantação…”.

A paisagem em que as pessoas nascem e se educam marca profundamente o jeito de ser e a cultura das sociedades. Dizem que os nativos das cordilheiras são preponderantemente introspectivos. E como não ser se as montanhas e os cumes mais altos os envolvem como em uma relação de intimidade? Os mineiros das montanhas das Gerais são preponderantemente cautelosos e sagazes. Os nordestinos das planícies da zona litorânea têm mais tendência a ser faladores e brincalhões. Entretanto, todos carregam em si um pedaço do sertão ou do Cerrado, escondido no próprio coração. No mais profundo do ser interior, somos todos/as atraídos/as por um sertão que não é apenas geográfico, mas espiritual. O árido do sertão ou do Cerrado aponta para um deserto que todos nós, cedo ou tarde, temos de aprender a percorrer. É no ermo silencioso, árido e austero que um Mistério nos aguarda e espreita.

No passado, as grandes tradições espirituais nasceram na aridez do deserto. No sexto ou quinto século antes de nossa era, no deserto de Gobbi, em território chinês, o sábio Confúcio formulou a sabedoria dos seus ensinamentos.

Um século depois, na Índia, foi na solidão e no silêncio que Buda, o Iluminado preparou-se para a sua missão. Conforme a Bíblia, Deus “não levou o povo de Israel da escravidão do Egito à terra da liberdade por um caminho direto, mas o fez dar voltas no deserto, durante 40 anos” (Ex 13). Foi no meio do deserto que, através de um povo, Deus fez uma aliança de amor com a humanidade. Mais tarde, o profeta Elias, em crise de vocação e em perigo de vida se refugia no mesmo Horeb para um novo encontro com o Divino. E, conforme os evangelhos, Jesus de Nazaré começou sua missão por um jejum de 40 dias no deserto. Seis séculos depois, foi em meio ao deserto da Arábia que o anjo Gabriel apareceu ao profeta Maomé e ditou o livro sagrado do Corão.

Além das populações que vivem permanentemente e convivem culturalmente com o semiárido e mesmo com o deserto, há o conjunto da sociedade. Mesmo não vivendo ali, o conjunto da sociedade precisa respeitar e dialogar com os diversos biomas da Terra e da vida.

Muitas vezes, a sociedade urbana que se impõe nos distrai e desvia de nossas metas mais profundas. Atualmente, os profetas bíblicos chamariam a sedução urbana que faz com que muitos jovens do campo sonhem em viver na cidade “a tentação das cebolas do Egito”.

É preciso uma transformação no pensar e no viver. E isso é exigente. Como dizia Guimarães Rosa, no Grande Sertão, Veredas: “O mais perigoso não se dá na partida, nem na chegada. O risco maior é a travessia”. Na tradição espiritual guarani da Terra sem Males, humanidade e natureza se reconciliam, a partir da justiça amorosa que vem do Espírito. O Conselheiro retomou o grito bíblico: “o sertão vai virar mar e o mar virar sertão”. Movimentos sociais como o MST (Movimento dos Trabalhadores sem Terra) ajudam a juventude a redescobrir a liberdade interior e comunitária de uma sociedade nova e mais sóbria que tem o campo e a vida no interior como método e caminho.

Texto de Marcelo Barros publicado por CEBs do Brasil.

 

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya