Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Roteiros de reinvenção da família no evangelho de Marcos

Roteiros de reinvenção da família no evangelho de Marcos
24 de julho de 2017 Centro de Estudos Bíblicos
A família no evangelho de Marcos está e não está, é e não é importante. Sempre presente, mas sem definir o principal das relações que movimentam o Evangelho.

Vamos apontar alguns textos e fazer a pergunta por esta presença ausente: de que maneira as relações familiares são apresentadas? Qual o papel/lugar dessas relações no desenvolvimento das narrativas do Evangelho?

  • 1- “primo” não é parente?

A primeira relação familiar já se apresenta no Evangelho de Marcos capítulo 1, vv. de 2 a 11: João Batista primo de Jesus.

Eis aí envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu caminho…

O texto de Marcos não aponta para a relação de parentesco entre Jesus e João Batista. O texto de Lucas faz a referência da relação familiar entre Isabel e Maria:

                                               E Isabel, tua parenta… (Lucas 1, 36)

O que vai explicar a relação entre Jesus e João vai ser a participação na missão de Deus: João vai ser apresentado com uma moldura de profecia (Malaquias 3,1) como meu mensageiro, voz do que clama no deserto. Sem qualquer indicação de ser parte da mesma parentela, o texto caracteriza João com os elementos da vida no deserto: vestes de pelo de camelo, cinto de couro e alimentando-se de gafanhotos e mel (Marcos 1, 6). Não há nenhuma indicação de que Jesus e João compartilhassem um mesmo estilo de vida o que poderia ser caracterizado como um habitus familiar.

A mensagem de João Batista é:

Após mim vem aquele que é mais poderoso do que eu, do qual eu não sou digno de, curvando-me, desatar-lhe as correias das sandálias. (Marcos 1,7)

Seria possível apontar para um processo significativo de adequação e subordinação das narrativas sobre João Batista aos ciclos narrativos de Jesus. Este processo obedeceria a uma lógica cronológica – João vem primeiro – e uma lógica de qualidade da ação no projeto de Deus – João prepara, Jesus realiza; João anuncia, Jesus atualiza; João batiza com água, Jesus com o Espírito Santo; João batiza, Jesus é o batizado (Marcos 1, 8). Deste modo o texto de Marcos reconhece a importância do movimento de João Batista para a criação das condições para o movimento de Jesus. O processo de ajuste das narrativas vai ser pleno com a informação da prisão de João:

Depois de João ter sido, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus. (Marcos 1, 14)

Esta breve análise dos textos deixa ver que o vínculo familiar não é, em nenhuma hipótese, utilizado pelo Evangelho de Marcos para consolidar o ritmo inicial de sua narrativa. João e Jesus se aproximam a partir do que interessa para a apresentação da Boa Nova.

Vamos utilizar esta mesma chave de leitura para estudar outros textos do Evangelho de Marcos. Faça a leitura do texto e, se possível, compare algumas traduções disponíveis. Logo depois peça ao grupo para recontar o texto com outras palavras. Volte para o texto bíblico e leia novamente. Anime o grupo a trabalhar com o roteiro de perguntas.

  • 2- pescadores que são irmãos? irmãos que são pescadores?

Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu os irmãos Simão e André, que lançavam a rede ao mar, porque eram pescadores. Disse-lhe Jesus: vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homem. Então eles deixaram imediatamente as redes, e o seguiram. Pouco mais adiante, viu Tiago filho de Zebedeu, e João seu irmão, que estavam no barco consertando as redes. E logo os chamou. Deixando eles no barco a seu pai Zebedeu com os empregados, seguiram após Jesus. (Marcos 1, 16 a 20)

Roteiro de Leitura:

  • 1- identifique no texto as relações familiares
  • 2- identifique no texto as relações de trabalho
  • 3- identifique o cenário (lugar e coisas)
  • 4- como vocês caracterizariam a relação entre trabalho e família?
  • 5- o que vai ser deixado para trás? o que Jesus pede deles?
  • 6- no segundo chamado o pai Zebedeu não vai ser incluído no chamado e também vai ser deixado: o que isso significa no chamado de Jesus?
  • 7- no chamado para o discipulado o que é mais significativo: o fato de serem irmãos? o fato de serem pescadores? o fato de estarem dispostos a se comprometer?
  • 3- a sogra de Pedro é mãe de quem?

E, saindo eles da sinagoga, foram com Tiago e João, diretamente para a casa de Simão e André. A sogra de Simão achava-se acamada, com febre; e logo lhe falaram a respeito dela. Então aproximando-se, tomou-a pela mão; e a febre a deixou, passando ela a servi-los. (Marcos 1, 29 a 31)

Faça a leitura do texto e, se possível, compare algumas traduções disponíveis. Logo depois peça ao grupo para recontar o texto com outras palavras. Volte para o texto bíblico e leia novamente. Anime o grupo a trabalhar com o roteiro de perguntas.

Roteiro de Leitura:

  • 1- identifique os personagens
  • 2- identifique o cenário
  • 3- quem fala sobre a febre as sogra de Simão? quem são eles que falaram?
  • 4- como vocês avaliam as relações entre estes personagens?
  • 5- qual a resposta da mulher depois do encontro com Jesus?
  • 6- a “casa” é um lugar só para a família?
  • 7- o serviço na casa é só para os familiares?
  • 4- discípulos: filhos de… irmãos de… (Marcos 3, 14 a 19)

Depois subiu ao monte e chamou os que ele mesmo quis, e vieram para junto dele. Então designou doze para estarem com ele e para os enviar a pregar, e a exercer a autoridade de expelir demônios. Eis os doze que designou: Simão a quem acrescentou o nome de Pedro; Tiago filho de Zebedeu e João seu irmão, aos quais deu o nome de Boanerges, que quer dizer filhos do trovão; André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago filho de Alfeu, Tadeu, Simão o Zelote, e Judas Iscariotes, que foi também quem o traiu.

Faça a leitura do texto e, se possível, compare algumas traduções disponíveis. Logo depois peça ao grupo para recontar o texto com outras palavras. Volte para o texto bíblico e leia novamente. Anime o grupo a trabalhar com o roteiro de perguntas.

Roteiro de Leitura:

  • 1- identifique os personagens
  • 2- identifique o cenário
  • 3- qual o objetivo desse texto? quais as tarefas atribuídas?
  • 4- que relações familiares são apresentadas? de que personagens?
  • 5- quem não tem referência familiar apresentada?
  • 6- quem tem seu nome trocado? qual seria o motivo?
  • 7- de Simão sabemos que é Zelote; de Judas temos a informação de que foi o traidor: o que estas informações nos dizem sobre o grupo convocado?
  • 8- como avaliar o papel da família na convocação do discipulado?

 

  • 5- a família de Jesus (Marcos 3, 31 a 35)

Nisto chegaram sua mãe e seus irmãos, e, tendo ficado do lado de fora, mandaram chamá-lo. Muita gente estava assentada ao redor dele, e lhe disseram: olha, tua mãe, teus irmãos e irmãs estão lá fora à tua procura. Então ele lhes respondeu, dizendo: quem é minha mãe e meus irmãos? E, correndo o olhar pelos que estavam assentados ao redor, disse: Eis minha mãe e meus irmãos. Portanto, qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe.

Faça a leitura do texto e, se possível, compare algumas traduções disponíveis. Logo depois peça ao grupo para recontar o texto com outras palavras. Volte para o texto bíblico e leia novamente. Anime o grupo a trabalhar com o roteiro de perguntas.

Roteiro de Leitura:

  • 1- identifique os personagens
  • 2- identifique o cenário
  • 3- compare com Lucas 8, 19 a 21: alguma informação diferente?
  • 4- como entender o chamado da família de Jesus?
  • 5- o que Jesus estava fazendo e com quem?
  • 6- como entender a resposta de Jesus?
  • 7- Jesus foi desrespeitoso com sua família?
  • 8- qual compreensão de família Jesus apresenta neste texto?

6- não é este o filho de Maria? (Marcos 6, 1 a 6)

Tendo Jesus partido dali, foi para a sua terra e os seus discípulos o acompanharam. Chegando o sábado passou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se maravilhavam, dizendo: donde vêm a este estas cousas? Que sabedoria é esta que lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por suas mãos? Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? e não vivem aqui entre nós suas irmãs? E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: não há profeta sem honra senão na sua terra, entre seus parentes e na sua casa. Não pode fazer ali nenhum milagre, senão curar uns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos.

Faça a leitura do texto e, se possível, compare algumas traduções disponíveis. Logo depois peça ao grupo para recontar o texto com outras palavras. Volte para o texto bíblico e leia novamente. Anime o grupo a trabalhar com o roteiro de perguntas.

Roteiro de Leitura:

  • 1- identifique os personagens
  • 2- identifique o cenário
  • 3- como entender os comentários sobre Jesus? o que dizem dele?
  • 4- como as questões familiares são utilizadas nesses comentários?
  • 5- por que as pessoas se escandalizavam? com o que?
  • 6- como entender a resposta de Jesus?
  • 7- como Jesus relaciona a profecia e a honra com a “terra”, os “parentes” e “sua casa”?
  • 8- como entender a informação de que Jesus “não pode fazer nenhum milagre” na região de seus familiares?

7- nenhum pai (Marcos 10, 23 a 31)

Então Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: quão difícilmente entrarão no reino de Deus os que têm riqueza. Os discípulos estranharam estas palavras; mas Jesus insistiu em dizer-lhes: Filhos, quão difícil é (para os que confiam nas riquezas) entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus. Eles ficaram sobremodo maravilhados, dizendo entre si: então quem pode ser salvo? Jesus porém fitando neles o olhar disse: para os homens é impossível; contudo não para Deus, porque para Deus tudo é possível. Então Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos e te seguimos. Tornou Jesus: em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho que não receba, já no presente, cem vezes mais casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos com perseguições e no mundo por vir a vida eterna.

Faça a leitura do texto e, se possível, compare algumas traduções disponíveis. Logo depois peça ao grupo para recontar o texto com outras palavras. Volte para o texto bíblico e leia novamente. Anime o grupo a trabalhar com o roteiro de perguntas.

Roteiro de Leitura:

                Da 1ª. parte: versículos 23 a 28

  • 1- identifique o assunto principal da fala de Jesus
  • 2- que personagens e coisas são apresentadas como ilustração?
  • 3- como os discípulos reagem à fala de Jesus?
  • 4- por que Jesus insiste no mesmo tema?
  • 5- qual a reação de Pedro?

Da 2ª. parte: versículos 29 a 31

  • 1- identifique o que precisa ser deixado de acordo com a fala de Jesus (faça uma lista num papel grande dividido em 2 partes)
  • 2- o que exige o “deixar”? que amor é esse?
  • 3- o que Jesus aponta para ser “recebido”? (anote cada item ao lado da lista já feita)
  • 4- o que é “deixado” que não vai ser “recebido”? como entender isso?
  • 5- por que este projeto implica em perseguições?
  • 6- que modelo de família e de sociedade aparece neste texto?

Fonte: Texto de Nancy Cardoso, no blog da autora.