Notícias

O “encantamento” de Domingos Montagner [Roberto Malvezzi (Gogó)]

O “encantamento” de Domingos Montagner [Roberto Malvezzi (Gogó)]
Várias pessoas me pediram uma palavra sobre a tragédia com Domingos Montagner. Como moro a 500 quilômetros do lugar de seu decesso, não tenho detalhes do fato. Mesmo assim, decidi fazer esse texto a partir do que sei do rio e do fato.

Minha mulher é beradeira do São Francisco, assim como nossos filhos e filhas. Ela sempre dizia aos meninos: “água não tem cabelo”. Ela mesma foi salva quando criança ao cair de um barco por uma pessoa que pulou na água quando viu apenas seus cabelos passando à flor da água. Foi salva pela cabeleira.

Eu conheci Domingos pessoalmente na oficina sobre o rio São Francisco que fiz para atores, diretores e produção no Rio de Janeiro. No intervalo da oficina conversamos bastante, junto com Letícia Sabatella – ia fazer o papel de Camila Pitanga – e Lucy Alves. Pessoa muito simples e muito cidadã.

Eu passava sempre por Canindé do São Francisco, indo ao baixo São Francisco. Há uma ponte que liga Alagoas (Piranhas) e Sergipe (Canindé). Quando se acaba de atravessar a ponte, está a referida prainha. Sempre muito quente, a vontade que dá é mesmo pular na água. Foi o que ele e Camila Pitanga fizeram.

Acontece que a referida prainha está apenas a uns 300 metros abaixo da barragem de Xingó. Era o final antigo do Cânion, hoje represado; logo abaixo, em Piranhas, o rio voltava a ser navegável. Hoje, com a barragem, a dinâmica das águas ficou modificada. O rio está raso, há muita pedra e muita correnteza, com poços profundos.

Quando eles decidiram ir mais para o meio do rio, não imaginavam o risco que corriam. Pelo relato de Camila, a força da água aumentou e, pior, havia um “remanso”, isto é, redemoinho na água que puxa para o fundo. Além do mais, ele tentou nadar contra a corrente, quando o normal seria descer com a correnteza, tentando se aproximar de outra pedra ou procurar a margem do rio.

A tragédia teria sido pior se ela tivesse pulado na água para salvá-lo. Estamos acostumados a ver o afogamento de duas ou três pessoas aqui no Velho Chico, quando um tenta salvar o outro, mas sem saber nadar direito ou sem técnica de salvamento. Esses dias dois irmãos morreram abraçados aqui na Ilha do Fogo, entre Juazeiro e Petrolina.

As lendas do São Francisco falam nos “encantados”, aqueles que estão ali presentes, mas são invisíveis aos nossos olhos. Assim são as pessoas, assim é o “vapor encantado”. A novela trabalha com essas lendas.

Impossível não ficar perplexos com essa situação. Só pude mandar um abraço aos atores e atrizes que conheci nesse contexto. Mesmo sem conhecer, aqui em casa pensamos muito na família real. Foi isso também que Letícia Sabatella me disse.

Domingos tornou-se mais um encantado do Velho Chico, um rio sofrido e cheio de mistérios.

*Roberto Malvezzi atua na Comissão Pastoral da Terra na região do rio São Francisco.

situs judi bola AgenCuan merupakan slot luar negeri yang sudah memiliki beberapa member aktif yang selalu bermain slot online 24 jam, hanya daftar slot gacor bisa dapatkan semua jenis taruhan online uang asli. idn poker slot pro thailand

Seu carrinho está vazio.

mersin eskort