Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Ka’apor criticam Funai por vetar participação do povo na Conferência Nacional de Política Indigenista

Ka’apor criticam Funai por vetar participação do povo na Conferência Nacional de Política Indigenista
Ka’apor criticam Funai por vetar participação do povo na Conferência Nacional de Política Indigenista
23 de agosto de 2015 Centro de Estudos Bíblicos
Indígenas do povo Ka’apor manifestaram-se por meio de nota para criticar a posição da Fundação Nacional do Índio (Funai) no Maranhão, que durante a etapa regional da Conferência de Política Indigenista no município de Imperatriz, de acordo com as lideranças, impediu que os Ka’apor tivessem vagas para participar da Conferência Nacional de Política Indigenista, que acontecerá em novembro em Brasília. Os indígenas não chegaram a participar da etapa em Imperatriz, mas reuniram-se na Terra Indígena (TI) Alto Turiaçu em encontro de duas etapas para discutir as propostas da Conferência.

Do encontro na TI foi elaborado um documento e encaminhado para a Conferência em Imperatriz, mas os Ka’apor não conseguiram vagas para a Conferência Nacional em Brasília porque, de acordo com o regimento, perderam esse direito ao não participarem das etapas locais e regionais. As lideranças afirmam que não aceitarão tal manobra e que foram “punidos e agredidos” pela Funai por defenderem seu território. “Queremos dizer que vamos mais uma vez debater essa violação do nosso direito e decidir o que fazer e comunicamos que não será a Funai que dirá se podemos ou não participar de uma Conferência que é antes de tudo indígena”, dizem no documento.

Leia na íntegra:

Nós, os Ka'apor, fora da Conferência Indigenista!

O governo anunciou uma conferência indígena para este ano e nós desconfiamos. Por que uma conferência promovida pelo governo se nossas florestas e nossas lideranças estão caindo todos os dias por causa dos madeireiros, fazendeiros que apoiam este governo? Para quê uma conferência, se estamos ameaçados em nosso próprio território e o Estado não é capaz de defender e proteger nossos territórios, nossas lideranças indígenas e dar respostas para nossas demandas?

Pra gente continuar organizados, protegendo nosso território, nós decidimos reunir nos dias 18, 19, 20 e 21 e 28 e 29 de julho em nosso Centro de Formação Saberes Ka'apor onde estudamos, debatemos, escrevemos e apresentamos à sociedade o que queremos que essa Conferência nos traga.

Mas o veneno do dinheiro continua corrompendo o governo, alimentando também os madeireiros na região de Zé Doca e serrarias do Maranhão. E nossas florestas voltaram a ser atacadas, ramais de estradas de madeireiros foram abertos, nossas lideranças perseguidas e ameaçadas de morte e as serrarias mudaram de local para fugir da fiscalização, os mandantes e assassinos de nossa liderança Eusébio Ka’apor continuam impunes.

Não podíamos ficar parados, decidimos fechar a BR 316 para chamar a atenção de todos e dizer que o crime no Maranhão tem mais força que a Justiça. Não tivemos mais apoio da Funai para proteger nosso território. Fizemos isso pra mostrar que estamos organizados e vigilantes em defesa de nossas florestas.

Ficamos surpresos quando a gente lutava por nossos direitos pensando numa conferência que possa dar resposta efetiva aos nossos problemas e garantir nossos direitos, a Funai do Maranhão cumprindo sua função de órgão do governo, manobrou na conferência de Imperatriz e impediu que nós pudéssemos ter vagas para participar da Conferência Nacional de Política Indigenista. Fomos punidos e agredidos em nossos direitos de defender nossa palavra, porque decidimos defender nossas florestas. É dessa forma que a Funai resolve os problemas indígenas no Maranhão, infelizmente não aparecem nos documentos oficiais.

Queremos dizer que vamos mais uma vez debater essa violação do nosso direito e decidir o que fazer e comunicamos que não será a Funai que dirá se podemos ou não participar de uma Conferência que é antes de tudo indígena.

Pedimos apoio de nossos parentes para mais essa luta!
Conselho de Gestão Ka’apor, Conselho das Aldeias