Notícias

Cerca de 300 famílias ocupam latifúndio no Mato Grosso

Cerca de 300 famílias sem terra ocuparam nesta segunda feira (20) a fazenda Mutum, no município de Glória D´Oeste, em Mato Grosso. Segundo os Sem Terra, a área apresenta crime ambiental por desmatamento de Área de Preservação Permanente (APP) e extração ilegal de madeira, além de não cumprir a função social. Por isso, pedem a desapropriação para fins de reforma agrária.

As famílias que ocupam a fazenda são oriundos de diversos municípios do estado, como Salto do Céu, Araputanga, Mirassol D´Oeste e Curvelândia.

Mato Grosso

No último dia 13 de julho, outras 600 famílias também ocuparam a Fazenda Nossa Senhora Aparecida, no município de Jaciara (MT).

Os Sem Terra permanecem na área de cerca de 2.186 hectares, que apresenta disputa quanto às regularidades de títulos e responde a processo por problemas ambientais movido pelo Ministério Público Estadual.

O Mato Grosso é um dos estados com maior concentração fundiária, acarretando em diversos problemas ambientais e sociais, informam lideranças do MST. Eles alegam que a ocupação é consequência da concentração fundiária somado ao desemprego que avança sobre os trabalhadores e trabalhadoras.

A reportagem não conseguiu obter o contato dos representantes da fazenda para comentar as alegações das famílias.

Nenhum produto no carrinho.