Bem-vindo ao CEBI! (51) 3568-2560 | [email protected]

Natividade: tempo de resistência e de esperanças

Natividade: tempo de resistência e de esperanças
22 de dezembro de 2018 Centro de Estudos Bíblicos

Mensagem de final de ano do CEBI:

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz. E uma luz brilhou para os que habitavam uma terra tenebrosa…” (Is 9.1-8)

Neste ano vivemos um tempo muito estranho na política. Quase na beira da desesperança e do terror espalhado por projetos e propostas que infundiram medo e ordens sociais violentas, opressoras e excludentes. Tempo tão estranho que reinventaram a antiga roda da marginalidade para a vida dos pobres, das mulheres, dos LGBTs, afrodescendentes, indígenas, sem-terras, sem-tetos, moradores de rua, favelados e todos e todas oprimidas/os que lutam por vida digna.

Quase levaram muitos a habitar uma terra tenebrosa, terra de ninguém, terra de morte. Como nos tempos antigos “quebraste a canga de suas cargas, a vara que batia em suas costas, o bastão do capataz de trabalhos forçados, porque toda bota que pisa com barulho, toda capa empapada de sangue serão queimadas, devoradas”.

Porque em meio a tanta opressão, medo, morte… nasceu a esperança na organização, a confiança na luta, a certeza que a Comunidade é o caminho certo porque carrega os traços do Evangelho, produz revolução e transformação, e antecipa o Reino.

Nasceu um menino! Nasceu uma menina!

“Há um menino, há um moleque. Há uma menina morando sempre no meu coração.
Toda vez que o adulto balança, Ele/Ela vem pra me dar a mão.
Há um passado no meu presente, um sol bem quente lá no meu quintal.
Toda vez que a bruxa me assombra, o menino/a menina me dá a mão.
Ele/Ela fala de coisas bonitas que eu acredito que não deixarão de existir:
Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade, alegria e amor.
Pois não posso, não devo. Não quero viver como toda essa gente insiste em viver.
Não posso aceitar sossegado qualquer sacanagem ser coisa normal.
Bola de meia, bola de gude. O solidário não quer solidão.
Toda vez que a tristeza me alcança, o menino/ a menina me dá a mão!”
(
Bola de Meia, Bola de Gude – Milton Nascimento)

O CEBI deseja a todas e todos os caminhantes da Palavra… andarilhos/as na construção do Reino, que neste tempo de Natividade sejam renovadas as nossas esperanças, fortalecidas as nossas resistências.

“Ninguém solta a mão de ninguém!”
Que a leitura da Bíblia na defesa da vida seja sempre a nossa luz.

Abraço grande!
Direção Nacional do Centro de Estudos Bíblicos

 

📥 Compartilhe a mensagem!

▶ Ouça a música Bola de Meia, Bola de Gude:

 

Ilustração de capa disponível aqui.