CEBI em destaque

CEBI-GO: Os frutos do espírito e o pequi

foto de capa: grupo do CEBI-GO

“Uma flor rasgou a rua, desafiando a inércia cinza do ódio…”

Com essas palavras, o jovem João Damásio, de denominação Espírita, conduziu o Grupo de Vivência Ecumênica de Goiânia. Nesta etapa, João construiu em grupo as memórias que nos mantêm vivas e vivos na caminhada pessoal e coletiva.

Para desafiar a inércia cinza do ódio é preciso fazer a hora; caminhar, cantar, dar os braços e seguir a canção. Assim, outro instrumento que contribuiu com a construção das memórias, foi a música: “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré.

À medida que se escutava a música, escreviam-se palavras que ela fazia ecoar em nós.

E para falar de flores, é preciso deixar-se conduzir pelo Espírito e não por legalismos e moralismos que matam os corpos. Nesse sentido, a Pastora Patrícia, da Igreja de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), provocou o grupo a refletir sobre os frutos do Espírito, a partir do pequi.

O que o pequi tem a ver com os frutos do Espírito?

O pequi nos ensina a perseverança, a resiliência, a resistência, a transparência. E também a sermos pessoas portadoras de sabores e cheiros, e não de ódio e violência. O fruto se desenvolve livremente em solo seco e árido, com a colaboração de outros seres; não basta a si mesmo.

O pequi tem um gosto vivo, provoca dedicação e cuidado.

Assim é o amor: exige delicadeza, amabilidade e paciência no preparo (conforme o jeito que pega, toca, ele amarga e já não fica tão saboroso). O pequizeiro é uma árvore de múltiplos valores: ecológico, cultural, gastronômico, medicinal, econômico e ritualístico. Essa diversidade só realça a sua simplicidade e autoridade.

O pequi faz parte da identidade dos povos do Cerrado; identidade que congrega, convida para a festa, ao fortalecimento da cultura, à liberdade de servir por amor.

O pequi não é medido pela rapidez na produção e no lucro, mas pela constância e fidelidade em ser o que é, em se doar (até a amêndoa!), apesar do seu tronco e galhos tortuosos. Aliás, um pequizeiro pode demorar até 28 anos para começar a dar frutos. Percebe-se que o desmatamento desenfreado do Cerrado, entre outras coisas, prejudica por muito tempo a produção de novos frutos e impacta gerações.

blank

A flor do pequi é frágil; a qualquer vento ela  se desgruda do caule, como um ser chamado para a liberdade. Conforme a carta aos Gálatas “é a liberdade que recebemos de Deus que nos faz produzir frutos e não a lei” (Gl 5:22). A lei mata, o Espírito vivifica (2Cor 3:6). E, segundo as memórias que as comunidades fizeram de Jesus, ele nos chamou para a liberdade, para que nos deixemos guiar pelo Espírito.

O Espírito sopra onde quer e não se deixa prender nos parâmetros que as sociedades constroem culturalmente como verdades. O Espírito é a flor do pequi – flor que se desprende do caule, que rasga a rua e desafia a inércia cinza do ódio.

Dessa vez, o Grupo de Vivência Ecumênica de Goiânia se encontrou no dia 27 de novembro de 2017. Contou com a participação de nove pessoas, sendo quatro mulheres e cinco homens. Do total, um jovem.

Fonte: Texto e fotos de Múria, Goiânia, 28/11/2017.

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya

slot online judi bola terpercaya slot online terpercaya judi bola prediksi parlay hari ini

Seu carrinho está vazio.

×