Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

CEBI-CE conclui Curso Extensivo de Formação de Biblistas

CEBI-CE conclui Curso Extensivo de Formação de Biblistas
2 de setembro de 2016 Centro de Estudos Bíblicos
CEBI-CE conclui Curso Extensivo de Formação de Biblistas
A verdade é que este foi o nosso último encontro do Extensivo, com a presença da assessora Isabel Felix, ocorrido nos dias 01, 02 e 03/07/2016. Nós ainda ficaremos bebendo desta fonte, tendo em vista os estudos e pesquisas, para a elaboração dos trabalhos.
Neste encontro, a assessora nos levou a conhecer um pouco mais da história do século VI Antes da Era Cristã, precisamente a personagem Jezabel, estrangeira, esposa do Rei Acab, rainha do Reino do Norte, mulher corajosa, determinada, polêmica e profetisa professando sua fé no deus Baal e a levantar suspeitar das ações e histórias dos Deuteronomistas. Depois caminhando e conversando viajamos para o Apocalipse. Chegando neste livro, temido por muitas pessoas que não o conhecem a sua verdadeira mensagem, nos deparamos com as cartas de João dirigidas as Sete Igrejas (Éfeso, Esmina, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia) da Ásias menor, pois estavam passando por dificuldades e conflitos. Aqui nos deparamos com um dos quiasmos simétrico do livro do Apocalipse.  
As discussões mais empolgantes foram os papeis e as ações que Jezabel desenvolvia na comunidade de Tiatire. A personagem era mulher, era líder comunitária, era profetisa e professava sua fé ao deus Baal.
Depois pesquisamos o que os autores diziam sobre essa mulher estrangeira, líder, trabalhadora, determinada, briguenta, religiosa e profetisa e encontramos alguns elogios. Em seguida passamos a suspeitar da maneira como João tratava-a, descriminava-a, detestava-a, rejeitava-a. E concluímos que João seguia a mesma linha de raciocínio dos Historiadores Deuteronomistas.    
   
Finalizamos o encontro com uma belíssima oração, onde fizemos um resgate dos conteúdos apresentados, uma memória do grupo e das assessorias. Saboreamos um suculento e gostoso almoço preparado coletivamente por seis pessoas, ou seja, a doze mãos que relembramos as doze tribos de Israel e brindamos com vinho como fazia Jesus em suas celebrações.

Abraço fraterno,
Wilson, em nome do grupo.
Fortaleza-CE., 31/08/2016.