Bem-vindo ao CEBI! (51) 3568-2560 | [email protected]

CEBI-GSP: A linguagem das mulheres na Profecia

CEBI-GSP: A linguagem das mulheres na Profecia
13 de setembro de 2017 Centro de Estudos Bíblicos
cebi-sp

Nos dias 02 e 03 de Setembro de 2017, o CEBI-Campinas promoveu estudo Bíblico para os diversos grupos que fazem parte da região de Campinas. O encontro foi no agradável ambiente da chácara de Salvador e Silvânia, em Itatiba, interior de São Paulo.

Nosso tema de estudo foi “A Linguagem Feminina na Profecia e Sabedoria do Pós Exílio”, com a assessoria de Rafael Rodrigues da Silva, professor na Universidade Federal de Alagoas, Campus de Arapiraca, e assessor do CEBI.

Recomendamos:
As mulheres e o patriarcado nas comunidades paulinas

As mulheres tomam a palavra
A história de Dina e de outras mulheres em Gn. 12-38

Mulheres – resistência e luta em defesa da vida

O grupo, comunidade

Participaram do encontro 26 pessoas de diversas cidades da região, tais como: Americana, Campinas, Itatiba, Jarinu, Nova Odessa e Sumaré.

No estudo, refletimos sobre o ambiente pelo qual passa o rio da profecia e da sabedoria depois do exílio, isto é, a partir de 539 a.E.C. Enfocamos essa temática principalmente nos livros de Rute e Cântico dos Cânticos, tendo como ponto principal as dificuldades de sobrevivência encontradas pelas mulheres dentro do processo de reconstrução nesse período.

Rute mostra-nos um rosto bem humano, cheio de dificuldades e de muito sofrimento para as mulheres, principalmente as viúvas e as estrangeiras. No campo político, o projeto é de um governo construído na debilidade e na exploração da pobreza através da criação de tributos e leis.

Neste contexto, os estrangeiros e as estrangeiras  não faziam parte deste projeto de reconstrução da sociedade por não serem da linhagem do povo que se considerava puro,  de modo que os pobres e as mulheres viúvas e sem filhos ficavam à margem da sociedade. As soluções para os problemas não são fáceis de serem visualizados. Porém, com sabedoria, Rute e Noemi nos mostram que é necessário encarar as mudanças e pôr-se a caminho (Rt 1,7), pois muitas vezes as soluções para os  problemas estão nas coisas simples da nossa vida.

A casa é lugar de sabedoria. A formação dos filhos passa pela casa e pelas mulheres. É o lugar de instrução, de consciência, é o lugar da memória.

A bíblia e o feminismo

Percebemos também que, no livro de Cântico dos Cânticos (Ct 1,5-6), está presente a comercialização do corpo das mulheres. Aquela sociedade estava impregnada por um ambiente de mercado, de interesses e de dominação, legitimada pela lei da raça pura, da terra da promessa e pelas leis que regulam o casamento.

E uma das consequências do modelo dessa sociedade era a prostituição do corpo feminino. O livro de Cantares é um grito de resistência das mulheres contra todo esse aprisionamento, esse sistema, e toda a exploração que ele estabelecia (ou estabelece, ainda?!?).

A profecia passa pelo corpo, que é sagrado, erótico e místico. Tudo isso nos coloca em questões atuais que estão ocorrendo em nossa sociedade, especialmente com relação à essa onda de violência contra as mulheres, contra seus corpos.

O CEBI Campinas se compromete a continuar com os encontros para reflexão da bíblia, e também a alargar a rede de enfrentamento ao machismo e a intolerância dentro dos espaços que convivemos.

Por um ecumenismo com diversidade, pluralidade e respeito a todas as pessoas!

Fonte: CEBI-Campinas/SP.

Livros sobre Leitura Feminista da Bíblia:
A resistência de Rute e das mulheres
Em Memória Delas
Querida Ivone: amorosas cartas de teologia & feminismo