Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Reflexão do Evangelho: A preparação que comove e move

Reflexão do Evangelho: A preparação que comove e move
3 de dezembro de 2020 Zwei Arts

Leia a reflexão sobre Marcos 1,1-8, texto de Samuel Gaussmann.

Boa leitura!

O quanto somos prevenidos e vigilantes em nosso dia a dia? Você costuma levar guarda-chuva diante das primeiras ameaças de chuva ou é daqueles que geralmente tomam banho de chuva ou precisam pedir emprestado um guarda-chuva? Os textos bíblicos do 2° Domingo de Advento falam da vigilância e da preparação.

O 2º Domingo de Advento faz-nos refletir também sobre as segundas chamadas na vida. A segunda chamada no vestibular ou em concursos representa uma nova chance para quem não atingiu a meta. Na vida escolar, a recuperação é uma segunda chance para quem não foi bem na prova. O segundo turno de uma eleição é oportunidade de analisar melhor os candidatos. Em reuniões e assembleias vale a segunda chamada/convocação. Quantas “chamadas” Deus precisa fazer para lhe obedecermos e o levarmos a sério? No Advento, Deus faz-nos quatro chamadas, e ainda tem gente que chega ao Natal despreparada, estressada, desapercebida dos sinais…

João Batista afirma claramente que preparar a vinda do Messias passa pela metanoia, isto é, pela transformação total do ser humano. Preparar a vinda de Jesus exige de nós uma transformação radical em nossa vida. Arrepender-se é confessar e abandonar o pecado, é não se apegar mais à ideia de que se é justo simplesmente por ser descendente de Abraão ou fazer parte de uma igreja, mas é produzir frutos de uma vida que corresponda ao arrependimento. O Advento gera comoção, mas qual a ação que permanece depois? Ao fazermos uma conversão no trânsito, devemos antes sinalizar essa intenção com o pisca-alerta. No Advento, as comunidades estão com vários pisca-alertas ligados, reflexivas e emotivas, mas, infelizmente, fica só no piscar e não há ação concreta através de uma mudança de direção. É como o automóvel que liga o pisca-alerta e não muda de direção. Saímos transformados, convertidos para uma real mudança após ouvir o chamado de João Batista? À semelhança dos pisca-piscas dos pinheirinhos, nosso pisca-alerta do batismo vai piscar enquanto a decoração natalina estiver exposta e depois tudo volta como era antes, sem mudar de direção, sem frutos de arrependimento?

A imagem do deserto destaca que mais do que um determinado lugar, ele indica uma profunda experiência com Deus. Nesse sentido, o 2º Domingo de Advento torna-se um “estar com João no deserto”. O Advento pode ser comparado a uma caminhada com quatro estações (quatro domingos), e a segunda passa pelo deserto. E depois de passar pelo deserto, não saímos mais os mesmos, mudamos o ritmo e a maneira de caminhar. Advento é oportunidade de dar maior liberdade a Deus para agir em nós, abrindo espaços, alargando o coração, endireitando caminhos, abrindo fronteiras.

O segundo domingo de dezembro é também o Dia da Bíblia para as igrejas oriundas da Reforma religiosa do século XVI. É oportunidade de destacar a Bíblia como o manual para nossa preparação e vigilância na vida de fé. Para usarmos corretamente um eletrodoméstico, precisamos conhecer seu manual de instrução. Para vivermos coerente e fervorosamente a fé, precisamos continuamente consultar a palavra de Deus.

O que significa estar vigilante e preparado? Viver uma vida de acordo com a vocação recebida desde o Batismo, ou seja, uma vida santa, de serviço a Deus. A demora na segunda vinda de Jesus não é pretexto para esmorecer na preparação ou desistir de esperar e agir. A questão não é quando será, mas como você está se preparando para tal. É a esperança que torna a espera algo produtivo, pois, se o amor é confiante, a preparação será constante!

Bibliografia

MESTERS, Carlos; OROFINO, Francisco. O Evangelho de Marcos: Um roteiro de viagem tendo Jesus como guia. Série: A Palavra na Vida, nº 290. São Leopoldo: CEBI, 2012.
WESTPHAL, Hugo Solano. Círculos Bíblicos: O Evangelho segundo Marcos – fascículo 1. Blumenau: Sínodo Vale do Itajaí – IECLB, 2008. p. 13-26.

Fonte: Título da publicação: Proclamar Libertação / Editora: Editora Sinodal / Ano: 2014 / Volume: 39 – www.luteranos.com.br/conteudo/marcos-1-1-8-34432