Reflexão do Evangelho

Jesus Traz Vida para Todas as Pessoas

Texto de João 11, 1-45

Betânia foi originalmente uma aldeia da antiga da Judeia, tradicionalmente identificada com a cidade de Lazariyeh (em árabe, significando “lugar de Lázaro”), na parte montanhosa do sul de Israel, entre a margem oeste do mar Morto e o mar Mediterrâneo. Onde se encontra a tumba de Lázaro.

Em Betânia as duas irmãs, Marta e Maria, mencionadas por Lc10, 38-42 e Lazaro recebiam frequentemente visitas de Jesus que, passando por lá em suas caminhadas, entrava em Betânia na casa deles. Era seu refrigério. . A tradição, a qual João se filia, considerava Maria como sendo a mulher que Jesus ungiu com perfume na casa do fariseu. Porém, há autores que dizem que não se trata da pecadora de Lc 7,37.  Há controvérsias. Numa certa ocasião Marta e Maria estando aflitas mandam a notícia a Jesus, exclamando “Senhor aquele que amas está doente.”  Jesus responde: ”Esta doença não é mortal, mas é para a glória Deus, para que, por ele seja glorificado o Filho de Deus.  Jesus será glorificado pelo próprio milagre que provocará sua morte, que também é sua glorificação. (12,32).

Passados quatro dias, Jesus chegou na casa, em Betânia. Quando Marta ouviu que Jesus estava chegando saiu ao seu encontro e tomou a iniciativa de dialogar com Ele.. Diante da expressão chorosa de Marta, diante de sua fé e da confiança plena, Jesus afirma que Lázaro voltará à vida. “Teu irmão ressuscitará”. E aqui Marta faz uma autentica profissão de fé em Jesus, mesmo antes que Pedro a professasse. “Sim, Senhor, eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, Aquele que vem ao mundo”. Uma mulher, Marta, é a primeira a intuir a filiação divina de Jesus. Confessando a qualidade messiânica e a filiação divina ela reconhece que Jesus é a fonte de toda a ressurreição. A realização do sinal (milagre) de Jesus mais expressivo, esta doença lhe dará a oportunidade de manifestar a glória de Deus, que é também a sua. A ressurreição de Lázaro revela a filiação divina de Jesus. (cf  2,11). E aos olhos de João, esta ressurreição evidencia que Jesus é que nos faz passar da morte à vida.  Marta chamou Maria para ir também com Jesus até o tumulo. Jesus pergunta: onde o pusestes? Chegando perto do túmulo diz: “Retirai a pedra” e ao ver Lázaro Jesus chorou. e ergueu os olhos ao céu e disse: “Pai, eu te dou graças por me teres atendido” e gritou “Lázaro vem para fora”. E Lázaro voltou à vida. Esta prece mostra que a ressurreição de Lázaro permite entrever a relação filial de Jesus para com Deus. Jesus recebe do Pai o poder de fazer os que creem nele terem acesso à vida plena, também a ressurreição escatológica.

Neste texto não devemos centralizar-nos sobre a pessoa de Lázaro, ou sobre os pormenores da história, mas descobrir o que João quer dizer sobre a pessoa de Jesus e a sua missão, através dessa narrativa.   Jesus traz esta Vida para todas as pessoas, através da entrega da sua própria vida. O relato de João enfatiza que ele dará a sua vida para que todas as pessoas tenham a vida em abundância. A vida verdadeira, que o Cristo trouxe, tem a face humana e a face divina. Elas se misturam. Este episódio João o relata no início da narração da Semana da Paixão por ser bem conhecido por seus destinatários. Ontem e hoje.

Autora: Irmã Mara Butini
Irmãs da Divina Providência

Seu carrinho está vazio.

×