Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Feliz é aquela que creu que se cumprirá aquilo que o Senhor lhe disse!

Feliz é aquela que creu que se cumprirá aquilo que o Senhor lhe disse!
16 de dezembro de 2021 Zwei Arts

Leia a reflexão sobre Lucas 1,39-45, texto de Ana selma

Boa leitura!

Com essa passagem biblica conhecido como Visitação, podemos fazer diversas reflexões. Podemos dizer que Maria, é a jovem Igreja, habitada pelo Cristo. Ela vai ao encontro da sua prima Isabel, que representa a velha Igreja, habitada pelo último dos profetas. Com esse evento, podemos refletir sobre o serviço, porém, quero refletir agora sobre o cuidado. Principalmente sobre o cuidado entre mulheres, e o cuidado com mulheres.

Sair nesse contexto é pôr-se a caminho, ir ao encontro. E visitar significa cuidar.

Nas sociedades patriarcais, as mulheres aprendem sempre que precisam cuidar dos outros (pais, filhos, maridos). Aliás, não somente que precisam, mas sim que devem cuidar. Naquela época, como hoje, não ouvimos que devemos ser cuidadas e não aprendemos a sermos cuidadas.

No texto, Maria sai, põe-se a caminho, e no caminho, sobe montanhas.

Num mundo onde nós mulheres aprendemos a competir com outras mulheres, a não confiar em outras mulheres, a não cuidar de outras mulheres, Maria vem nos lembrar que o amor entre as mulheres é revolucionário e libertador. Sim, é preciso lembrar disso. Pois essa desunião nos foi ensinada pelo patriarcado, e era agenda dos homens e não nossa.

É necessário ressaltar que no evangelho, um dos critérios pelo qual seremos julgadas e julgados, é se visitamos ou não quem necessita de visitação, como mostrado em Mateus 25:36.

Visitar é uma das dimensões do cuidado. Visitar é sair do seu mundo para adentrar o mundo de outra pessoa. É viver um pouco da realidade dessa pessoa. Porém, para viver plenamente o mundo de outra pessoa é fundamental que você saia do seu mundo, mas para tal é necessário ter empatia, praticar a comunhão, experimentar os sentimentos de irmandade, o da compaixão e da misericórdia. Ou seja, sair de nossa individualidade.

Numa estrutura de sociedade tão racista e desigual, como a brasileira, a pobreza tem rosto de mulher e de mulher negra.

Na realidade do sistema prisional, o Brasil é o quarto pais que mais prende mulheres no mundo. E 62% dessas mulheres são negras.

As questões que emergem diante disso são: Quem as visita? E quem cuida delas? Quem acolhe suas dores?

Na sociedade capitalista neoliberal, perdemos o envolvimento com as pessoas e com a comunidade. Falamos muito em Deus, no entanto, julgamos e matamos em nome d’Ele. Na conjuntura política atual, a Bíblia ainda é usada para condenar mulheres, para dizer que cores devemos vestir, e que devemos nos calar e sermos submissas. Raramente, o Evangelho, que é Boa Nova, Boa notícia, Palavra de Salvação, é dirigida a nós mulheres.

Nos discursos cristãos, é propagado que precisamos levar Cristo às pessoas e que precisamos levar o seu nome. Mas, quando será que conseguiremos, assim como Maria, fazer que quem nos receba sinta a presença de Jesus com a nossa chegada, sem discurso e sem sermões? Quando levaremos seu amor através da visitação, do cuidado e do amor, como Maria fez com Isabel?

Evangelho é visitação. É cuidado. Visitar e cuidar das mulheres que precisam ser cuidadas. Nisso se resume o evangelho de Jesus e o significado da Visitação.