Partilhas

Semana Santa – Um Chamado para a Promoção da Justiça

Ouça aqui: Um Chamado para a Promoção da Justiça


Kezzia Cristina Silva
Fortaleza, 06 de abril de 2023

Lucas 4:16-21 – Leitura do Evangelho

Ele foi a Nazaré, onde havia sido criado, e no dia de sábado entrou na sinagoga, como era seu costume. E levantou-se para ler. Foi-lhe entregue o livro do profeta Isaías. Abriu-o e encontrou o lugar onde está escrito: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos e proclamar o ano da graça do Senhor”. Então ele fechou o livro, devolveu-o ao assistente e assentou-se. Na sinagoga todos tinham os olhos fitos nele; e ele começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu a Escritura que vocês acabaram de ouvir”.

No evangelho de Lucas, é evidente a intensão do evangelista em registrar e comunicar a caminhada de Jesus com ligação estreita entre suas práticas e o espírito profético. Sem muito rodeios, Lucas registra as narrativas de Jesus que dizem exatamente para que ele veio. Ele veio para promover liberdade às pessoas presas, devolver a visão às pessoas cegas e libertar pessoas oprimidas. Ele era a boa nova. A semana Santa que se segue precisa ser uma travessia que relembre que a trajetória de vida verdadeiramente cristã deve remontar concretamente o anúncio da boa nova.

O capítulo 04 deste evangelho inicia relatando a vida piedosa de Jesus após seu batismo quando com um sinal ele torna visível ao mundo que ele era o Filho de Deus e o momento que ele segue para o seu deserto onde é tentado. Em um período de quaresma onde se orienta retiros ou momentos sistemáticos para práticas de jejuns e análise pessoal, tudo fica mais “à flor da pele” e com Jesus não foi diferente. Em sua quarentena ele foi tentado exatamente sobre questões que na sua época o colocaria em lugares de poder. Poderes mágicos sacerdotal, governo sobre os reinos e a tão esperada entrada triunfal e gloriosa sobre as nuvens na cidade santa. O período de quaresma abre as janelas do coração e desvela tentações reais que cotidianamente tentam nos afastar da verdadeira piedade cristã. Porém Jesus sabia qual era sua essência e missão e não negocia com as tentações. Após o período de deserto, Jesus volta para a Galileia, visita Nazaré e já é sábado, então como de costume religioso, entra em uma sinagoga e ali recebe o livro do profeta Isaias para ler.

É importante relembrar que as profecias do profeta Isaias remontam o período do Sec. 08 a.C. onde Judá atravessava um momento de declínio da estabilidade econômica e a prática religiosa de culto e sacrifícios era estruturalmente excludente. Só ofereciam cultos ou sacrifícios os homens e homens ricos que tinham o que ofertar de suas criações e lavouras. Os sacerdotes e a sociedade como um todo olhavam para aquele cenário e a partir dessa prática excludente julgavam quem era e quem não era abençoado por Deus. Quem tinha o que oferecer, era abençoado por Deus, quem não tinha o que oferecer era amaldiçoado por Deus. Além de os governantes e sacerdotes se omitirem diante das desigualdades sociais, as injustiças eram reforçadas em nome de uma espiritualidade nefasta. As pessoas que ocupavam o poder não tinham compromisso social de distribuição e garantia de vida digna. Ao contrário, acumulavam poderes e riquezas e culpavam a população pobre por sua condição de miséria. O profeta Isaias compreendia essas práticas de desigualdades e denunciava as injustiças como um ato de sacrilégio.

No entanto o profeta não apenas denuncia, mas também anuncia a chegada daquele que estaria sob o Espírito do Senhor para anunciar, libertar e devolver a dignidade. “Aprendei a fazer o bem, procurai a justiça, chamai à razão o espoliador, fazei justiça ao órfão, tomai a defesa da viúva.” (Is.1,17). Esse é o verdadeiro jejum. Essa é a chamada da semana Santa para a cristandade. Mais do que uma celebração litúrgica, é um convite para que a igreja, os governos e toda a sociedade assumam a corresponsabilidade social na construção de um país mais justo e solidário para todas as pessoas, mas de modo especial às pessoas desvalidas desse mundo.

Semana Santa é o ato de esperançar vida, e páscoa, tempo de renovação. Nesse círculo pascal esperançamos firmes e fortes na busca por moradia para todas as pessoas; a garantia de que todas as pessoas farão no mínimo 03 refeições diárias; trabalho digno e dignidade humana; o fim do racismo; o fim do machismo e da LGBTfobia; por justiça e equidade. Semana Santa é ler hoje o evangelho e as profecias, compreendendo que fazer justiça para as minorias sociais é um ato santo, sagrado, divino.

 

 

situs judi bola AgenCuan merupakan slot luar negeri yang sudah memiliki beberapa member aktif yang selalu bermain slot online 24 jam, hanya daftar slot gacor bisa dapatkan semua jenis taruhan online uang asli. idn poker slot pro thailand

Seu carrinho está vazio.

mersin eskort