Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Mais de 35 toneladas de alimentos são vendidas na 5º Feira de Agroecologia da Reforma Agrária

Mais de 35 toneladas de alimentos são vendidas na 5º Feira de Agroecologia da Reforma Agrária
27 de julho de 2015 Centro de Estudos Bíblicos
Mais de 35 toneladas de alimentos são vendidas na 5º Feira de Agroecologia da Reforma Agrária
Durante a 5ª Feira de Agroecologia da Reforma Agrária, em Eunápolis, no Sul da Bahia, a população local pode comprar uma variedade de mais de 30 de alimentos a preços populares.

Os visitantes também  puderam acompanhar uma noite cultural com números musicais apresentados pelos artistas da Reforma Agrária.

Para Evanildo Costa, da direção estadual do MST, as feiras da Reforma Agrária são parte fundamental das jornadas agroecológicas que, historicamente, são realizadas em vários municípios do extremo sul.

“Nos últimos anos, as famílias Sem Terra realizaram mais de 30 feiras nas brigadas e na regional. Essa é a 5ª Feira Agroecológica, tendo sido a primeira em 2011. Além de apresentar à sociedade uma diversidade de alimentos e levantar a bandeira da Reforma Agrária, as feiras mostram que agricultura camponesa é o melhor modelo produtivo para o país”, salienta.

O deputado federal (PT-BA), Valmir Assunção, que também esteve no evento, afirmou que “a produção dos Sem Terra apresenta um grande diferencial, pois o modelo adotado pelas famílias camponesas traz em sua matriz o respeito à natureza e ao ser humano”.

Agroecologia

A agroecologia está ligada à diversidade de alimentos, à produção sustentável, além das relações de respeito e igualdade entre os seres humanos. Pensando nisso, José Mota, da direção estadual do MST, acredita que as feiras possuem um significado especial para o Movimento por promover a ideia de consumo e produção consciente.

“Nossa feira traz o suor do povo e a cara da soberania. O que queremos construir é uma sociedade em que os frutos da terra sejam repartidos e que o desenvolvimento social seja popular e não ditado por uma minoria e para esta minoria”, finaliza.