Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Carta pastoral da IECLB ratifica a defesa da democracia

Carta pastoral da IECLB ratifica a defesa da democracia
17 de junho de 2020 Comunicação
CARTA PASTORAL DA PRESIDÊNCIA DA IECLB
Junho – 2020
Só Tu conheces os pensamentos secretos do coração humano” (1 Reis 8.39)
O lema do mês de junho tem como contexto a dedicação do Templo em Jerusalém. Quando tudo estava pronto, Salomão chega diante do altar, estende as mãos para o céu e ora. O rei Salomão tinha poder e força, mas se coloca de mãos vazias diante de Deus. Este gesto de mãos vazias é significativo para os nossos dias.
Já estamos no quarto mês de “quarentena”. Apesar da grave situação, experimentamos bonitas formas de comunhão através de rádio e Internet. Em nenhum momento deixamos de ser Igreja. Os templos ficaram vazios e não houve encontros presenciais, mas a Palavra de Deus foi pregada, ensinada, comunicada. Orações, louvores, súplicas e lamentos cruzaram territórios. Dores foram repartidas, alegrias compartilhadas, sabedorias disseminadas.
A pandemia de Covid-19 é uma crise global. O número de casos registrados chegou a oito milhões, e o número de óbitos já ultrapassa 435 mil. O Brasil, que ainda apresenta curva ascendente, registra mais de 43 mil óbitos por Covid-19. Não bastasse essa terrível situação, outros graves problemas nos assolam. A violência doméstica, especialmente contra mulheres, aumenta. Há grupos que disseminam mentiras, violência e ódio, e defendem a ditadura. O racismo continua impregnado na sociedade, causando sofrimento e morte.
“Não consigo respirar” foi o grito de George Floyd, pessoa negra morta pela força policial em Minneapolis, EUA, no final de maio. Sua morte gerou intensa onda de protestos pelo mundo, exigindo mudanças nas mentalidades e nas políticas. “Não consigo respirar” é também o grito de muitas e muitos de nós. Não dá mais para seguir a brutalidade, a insensatez e a ganância. Neste momento, é necessário ratificar a defesa da democracia como forma de organização social capaz de defender a vida, a liberdade de expressão, os direitos.
Deus conhece corações e pensamentos. Deus conhece os pensamentos daquelas pessoas e dos grupos que tramam o mal e tentam disfarçá-lo. Deus também sabe que nossos pensamentos nem sempre são os melhores. Muitas vezes nos deixamos conduzir pelo mal e pela insensatez. O pecado não permite que respiremos. O pecado nos faz sofrer o mal e nos leva a fazer o mal. Como pessoas evangélicas luteranas cremos que Deus nos perdoa e nos traz de volta para a vida. O perdão ativa em nós o cuidado, a inclusão, a justiça, o amor, a paz.
Deus conhece os pensamentos secretos do coração humano. Que pensamentos alimentamos em nossos corações? Como são as nossas ações? Deus conhece tudo, mas espera que apresentemos a Ele as nossas fraquezas e as nossas preocupações. Nada lhe é pequeno ou insignificante. A misericórdia divina é muito maior do que podemos imaginar. Para desfrutar dela, precisamos apenas de mãos vazias em oração.
De mãos vazias e confiantes, elevamos a Deus as nossas orações. Nele cremos e confiamos. Neste tempo de Pentecostes, confessamos que o Espírito de Deus nos inspira para pensamentos e ações de vida. De Deus vem a força para enfrentar e superar este tempo de dificuldades. É por isto que podemos renovar a esperança no reino de Deus, na vida sem males. O desejo de um novo tempo não é um ideal humano, mas promessa divina. Dessa promessa podemos participar com nossos pensamentos e ações.
Saudações em Cristo,
Pa. Sílvia Beatrice Genz
Pastora Presidente
P. Odair Airton Braun
Pastor 1º Vice-Presidente
P. Dr. Mauro Batista de Souza
Pastor 2º Vice-Presidente