Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Era um adolescente negro, um celular… e a redução da maioridade penal (Edmilson Schinelo)

Era um adolescente negro, um celular… e a redução da maioridade penal (Edmilson Schinelo)
1 de julho de 2015 Centro de Estudos Bíblicos
Era um adolescente negro

Meu filho Marcos, de 14 anos, saiu hoje de bicicleta para a escola de teatro e arte. Menos de vinte minutos depois, toca o celular. Vendo que era seu número, atendi como de costume: “Oi, filho!”.

 

O susto foi grande ao ser surpreendido com uma voz que não era a dele: “Você conhece o dono desse celular? O que você é dele?” Para o coração de um pai, um súbito e rápido silêncio parece durar muito mais tempo. O pensamento vai longe: “Caiu da bicicleta? Foi atropelado? Se tivéssemos ciclovia… Ou será mesmo um sequestro?”.

 

Não sei com que tom de voz respondi. Mas da outra ponta a resposta, portadora de alívio, parecia vindo dos céus: “Não é nada não, moço, é que eu achei esse celular caído aqui na rua e queria devolver. Liguei então para o último número discado. Você sabe de quem é?”.

 

Combinamos o local, fui até lá. Deparei-me com um adolescente negro e fico feliz que não preciso aqui apenas colocar as iniciais. Seu nome é Nelson. Sentado na calçada, me aguardava para devolver o aparelho… Olhei fundo nos seus olhos… Talvez ele não tenha entendido por que as lágrimas vieram nos meus…

 

Olhei fundo nos seus olhos e imediatamente pensei: “Essa noite, o Congresso tentou votar a redução da maioridade penal… bancada da Bíblia, do Boi, da Bala… A grande mídia, a serviço desse ‘BBB’, não daria importância à minha história. Fato corriqueiro, nem ‘daria notícia’. Notícias são as que eles fabricam!”.

 

Voltei para casa com o sorriso de Nelson impregnado em minha alma. Era um sorriso de gratidão. Mas voltei pensando: “Garoto negro e pobre de periferia… Por que meu filho num projeto de arte, música e teatro e ele não? O que estamos fazendo com os seus sonhos? Será que ele tem ‘boa índole’ e seus amigos também negros, fichados e expostos nas manchetes, não? Por que a mídia ‘martela’ tanto em nossas mentes casos de ‘menores infratores’?”.

 

Uma certeza eu tenho: tivéssemos nós um pouquinho mais de espaço na TV para contar histórias tão comuns como essa, as “pesquisas de opinião” seriam absolutamente contra a redução da maioridade penal! Por isso estou contando. Confesso que achei que a gratidão de Nelson também se deve ao fato de que a redução da maioridade penal não foi ainda aprovada. E que não venha a ser!

 

Edmilson Schinelo,

 Campo Grande/MS, 1º de julho de 2014.

 

 

NOTA: Escrevi o texto durante a manobra do presidente da Câmara, que forçou nova votação e primeira aprovação emenda à PEC 171.  Ao invés de desanimar, reafirmamos nosso compromisso em favor da vida e da dignidade da juventude!