Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

CEBI-BA: Vamos falar sobre a Juventude?

CEBI-BA: Vamos falar sobre a Juventude?
22 de setembro de 2017 Centro de Estudos Bíblicos

Temos a alegria de partilhar a experiência do Seminário Estadual do Cebi Bahia, que aconteceu nos dias 04, 05 e 06 de agosto, em Lajedo de Eurípes, Irecê (BA).

Éramos um grupo de aproximadamente 70 pessoas, vindo de diferentes lugares da Bahia.

A troca de saberes

Todo o encontro foi uma experiência de Comunhão e Fraternidade. A comunidade reunida aguardava nossa chegada, e fomos acolhidos com muito carinho e alegria.

Ressaltamos a presença das famílias que com as portas e o coração aberto, nos acolheram em suas casas, durante os dias do encontro.

A fala da assessora Hildete Emanuelle foi aos poucos nos despertando e motivando o interesse de adentrarmos na temática proposta para o encontro: “Juventudes, Intolerância e Eumenismo”.

Ser comunidade

No segundo dia, com a dinâmica do “corredor humano”, já nos sentindo mais próximos uns dos outros, num clima de confiança e abertura, partilhando nossas percepções sobre a juventude. Seguido a dinâmica, fomos convidados(as) a caminhar em dupla, onde fomos refletindo e partilhado sobre as diversas juventudes:

  • Juventude trabalhadora;
  • Juventude partidária;
  • Juventude exterminada;
  • Juventude usuária de drogas;
  • Juventude conectada;
  • Juventudes LGBT…

Dentre estas especificidades de Juventude, enfatizamos nossa reflexão e debate sobre a Juventude Negra, por ser a que mais sofre com o preconceito e extermínio.

Voltamos a pequemos grupos e refletimos sobre:

O que a Juventude necessita?
Qual a bandeira de luta da juventude?

Socializamos este momento com uma manifestação figurativa, levando cartazes que expressavam os gritos da Juventude, entre tantos gritos, se sobressaia o “Fora Temer!”.

Finalizando nosso encontro em volta do pé de Mandacaru, símbolo da resistência, cantávamos em uma só voz:

“Teu sol não se apagará, tua lua não terá minguante, Porque o Senhor será tua luz, ó povo que Deus conduz”.

E como os discípulos de Emaús sentimos nossos corações arder e nossos olhos abrirem para perceber os sinais do Cristo Ressuscitado entre nós.

Nosso encontro também foi marcado pela presença e participação da Igreja Evangélica do Povo de Deus e outras organizações sociais:

  • Pastoral da criança,
  • Igreja de Deus,
  • Associação de Mulheres,
  • Famílias da Comunidade,
  • ACLOP – Associação Comunitária dos Pequenos Agricultores de Lajedo de Eurípedes,
  • Associação dos Produtores Rurais Remanescente de Quilombo de Lajedo de Eurípedes e
  • Igreja Católica.

Voltamos para casa com os corações alegres e agradecidos por toda experiência vivida. E também por ver e sentir a fé, a unidade e a partilha dos bens, da comunidade de Lajedo. Cada gesto nos recordava o espírito das primeiras comunidades (CEBs) e renova em nós a esperança de construir um mundo mais justo e fraterno!

 

Depoimento

“Participar do Seminário Estadual do CEBI foi maravilhoso. Ainda melhor foi ver a união de todos, voltada em uma só questão: a juventude. Todas as abordagens foram coerentes, questões que nos fazem refletir como a juventude está em “morte prematura” Entre todo o debate o que gostei em abordar foi: A juventude no tráfico e nas drogas e a juventude conectada. Na minha opinião entre todas as questões essas são as mais chocantes nos dias atuais.    

É sempre bom perceber como é gratificante fazer parte da juventude que faz a diferença e que, de alguma forma, com sua diferença, pode contribuir com exemplos para outros que buscam um refúgio, uma forma de incentivo e de mudança.

Em outras oportunidades gostaria, sim, de estar participando novamente. Gostei da forma como o CEBI realiza as abordagens, a união de todos. É bom participar de momentos assim porque nos fazem pensar mais sobre questões do nosso cotidiano que podemos melhorar. Questões que precisam ser debatidas e que não podem mais ficar em silêncio. As palavras que melhor definem tudo: proveitoso e divertido. Minha forma de pensar já se tornou mais crítica e mais positiva.Emília Lagêdo de Euripdes

 

Fonte: Enviado por Isabel, do CEBI-BA.