Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Por trás das cortinas, Temer promete retomar atividades da Samarco

Por trás das cortinas, Temer promete retomar atividades da Samarco
16 de setembro de 2016 Centro de Estudos Bíblicos
Por trás das cortinas
Na manhã desta terça-feira (13), sem qualquer estardalhaço, o presidente Michel Temer (PMDB) se reuniu com o presidente do Sistema Findes, Marcus Guerra, em encontro organizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). Nas pautas da reunião, a retomada das atividades da Samarco, responsável pela tragédia em Mariana/MG no ano passado.

Por trás das cortinas, o presidente Michel Temer deu o primeiro passo para a retomada das atividades da mineradora Samarco nesta semana, durante reunião em Brasília.

Organizada pela CNI, o presidente encontrou Marcus Guerra, presidente do Sistema Findes, que levou uma extensa lista de demandas da indústria “para o desenvolvimento econômico do Espírito Santo”. Entre elas, a necessidade de retomar a atividade da Samarco, empresa responsável pela tragédia em Mariana, em Minas Gerais, após queda da barragem.

Segundo a Folha de Vitória, o empresário disse que “o presidente já conhecia sobre o assunto e garantiu se empenhar para que a empresa volte a produzir, pois ele entende que a Samarco tem um compromisso com as populações atingidas com o desastre de Mariana e que, para honrá-lo, precisa retomar suas atividades”.

Dias depois, foi a vez do Ministro de Minas e Energia tornar o assunto público, defendendo a volta da mineradora. Segundo Fernando Coelho Filho, os próprios estados e cidades atingidas pelo rompimento da barragem da Samarco “têm o desejo de que a empresa volte a operar”.

“Estamos falando de milhares de empregos, milhares em arrecadação em um momento de extrema dificuldade. Eu particularmente defendo que, respeitando as normas do meio ambiente e os compromissos assumidos pela empresa, eu não vejo nenhuma dificuldade, pelo contrário, posso até ajudar, para que a empresa retome as suas atividades”, disse o ministro, segundo o jornal Folha de S. Paulo.

Tudo isso foi feito por trás das cortinas, e o processo de retomada da mineradora deve seguir o mesmo padrão, sem qualquer estardalhaço nos grandes meios de comunicação.

A Samarco ainda estuda a reutilização do Vale do Fundão, área de Mariana onde a barragem se rompeu, como reservatório de rejeitos de minério.

Segundo o ministro, não existe um prazo pré-estabelecido. Porém, trata-se de uma questão que havia sido debatida entre Michel Temer e o presidente do Sistema Findes. A retomada da empresa deve ocorrer após o período eleitoral e provavelmente no próximo ano, meses depois do aniversário da tragédia.