Notícias

Desigualdade de gênero na América Latina e no Caribe desacelera crescimento regional, diz ONU

Desigualdade de gênero na América Latina e no Caribe desacelera crescimento regional

A ONU afirmou nesta segunda-feira (14/12) que a desigualdade de gênero no mercado de trabalho latino-americano desacelera o crescimento da região. A Organização das Nações Unidas divulgou hoje seu relatório anual sobre desenvolvimento humano, que aponta os índices de desenvolvimento humano (IDH) dos países, e se dirigiram à América Latina especialmente quanto à disparidade econômica e social entre homens e mulheres.

 “O relatório confirma que as mulheres na América Latina e no Caribe se deparam com o desafio triplo de trabalhar fora de casa, cuidar dos filhos e, cada vez mais, dos mais idosos, o que aumenta o nível de trabalho não remunerado”, afirmou Jessica Faieta, diretora regional do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) na América Latina.

Segundo Faieta, é necessário que a região discuta a questão de que as mulheres são responsáveis pelos cuidados familiares, o que considera “um importante passo para que ninguém fique para trás”.

O relatório indica que, na América Latina e no Caribe, as mulheres ganham, em média, 19% a menos que os homens para desempenhar o mesmo trabalho. Segundo a ONU, mais da metade das empresas na região não possuem nenhuma mulher em posição de liderança. Menos de 20% das posições de liderança de empresas na América Latina são ocupadas por mulheres. No relatório, a ONU cita dados do Banco Interamericano de Desenvolvimento, que aponta que mulheres em posição de destaque no mundo executivo ganham a metade do que os colegas homens, em média.

 Do total de pessoas no mundo que exercem trabalhos domésticos, atividade desempenhada majoritariamente por mulheres e em que “as condições de trabalho frequentemente necessitam de melhorias”, 37% estão na América Latina. A ONU aponta que 27% dos assentos parlamentares da região são ocupados por mulheres, o que está acima da média global (22%). No entanto, países como Brasil, Paraguai e Suriname registram menos de 10% nesse quesito, o que é uma “grave disparidade”, segundo a ONU.

Desigualdade de gênero no mundo

O PNUD dedicou um capítulo do relatório à desigualdade global entre homens e mulheres. Em 2015, apenas 47% das mulheres em idade ativa (a partir de 15 anos) estavam empregadas, frente a 72% dos homens. Na esfera política, 22% dos assentos do Parlamento, 18% dos cargos ministeriais e 26% das posições das cortes máximas dos países são ocupados por mulheres.

As mulheres são maioria em trabalhos não remunerados: 41% do trabalho realizado no mundo não é remunerado, e nesta categoria as mulheres têm uma participação três vezes maior do que os homens (31% contra a 10%). Com relação ao trabalho remunerado, 59% do total, o cenário se inverte: 21% desta parcela é desempenhado por mulheres e 38% por homens. Do total de horas trabalhadas no mundo, remuneradas e não remuneradas, as mulheres contribuem com 52% e os homens 48%.

 

Liga228 situs judi bola merupakan situs judi bola online dengan pasaran terlengkap.

Kunjungi situs judi bola terlengkap dan terupdate seluruh asia.

Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Game situs slot online resmi

slot hoki terpercaya

slot terbaru

rtp slot gacor

agen sbobet terpercaya

slot online judi bola terpercaya slot online terpercaya judi bola prediksi parlay hari ini

Seu carrinho está vazio.