Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

CEBI-GO:Por mais sábio que fosse…

CEBI-GO:Por mais sábio que fosse…
17 de abril de 2015 Centro de Estudos Bíblicos
CEBI-GO:Por mais sábio que fosse...

“Jesus por mais sábio que ele fosse e, mesmo sendo filho de Deus, ele aprendia as coisas com as pessoas. O melhor do texto é a aceitação de Jesus à cultura do outro”.

Essa foi a descoberta de Gean, jovem de 19 anos, morador do Jardim Balneário Meia Ponte, na periferia de Goiânia. Ao lado de outros jovens e adolescentes, Gean participou, no dia 16 de abril, de mais um encontro do projeto Bíblia, Arte e Cidadania, modalidade formativa destinada às lideranças das comunidades. O grupo vem se dedicando em seus encontros de 2015 ao estudo do Evangelho da Comunidade de Marcos.

Entusiasmado com o processo de aprendizado coletivo, Gean insiste: “Hoje o que eu mais gostei foi sobre o que conversamos no grupo. Jesus por mais sábio que ele fosse e, mesmo sendo filho de Deus, ele aprendia as coisas com as pessoas. E isso é incrível! Pois, a visão que a gente tem de Jesus é que ele nasceu sabendo tudo. Porém, hoje eu percebi que quando Jesus bate de frente com um choque cultural, ele percebe que as coisas não são como ele acreditava”.

O grupo reúne pessoas de diferentes idades que, por meio da arte, recuperam e desenvolvem sua autoestima, com a ajuda dos textos bíblicos. Veja o depoimento de outras pessoas.

“No primeiro dia eu fiquei meio perdida, mas depois eu vi que é bem mais simples do que a gente pensa, pois o diálogo dá um entendimento melhor; à medida em que dialogamos uns com os outros, o Espírito Santo vai nos conduzindo e a gente fica mais inteirada, aprende a se relacionar mais com as pessoas e com Deus; a gente toma gosto, pois se sente respeitada. E, em vez de somente ouvir sobre quem é Jesus, a gente participa das descobertas por meio do diálogo e dos teatros” (Maria Jerônima).

“Eu acho interessante porque eu tenho 10 anos e posso participar do curso bíblico. Aqui é bom porque em cada encontro a gente conhece um pouco mais sobre a vida das pessoas da comunidade – como elas sofrem e com o que ficam alegres. E aqui tem músicas bonitas…” (Rafaela).

Confira algumas imagens:

""  ""  ""