Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Jovens da Suécia conhecem a Leitura Popular da Bíblia

Jovens da Suécia conhecem a Leitura Popular da Bíblia
4 de novembro de 2016 Centro de Estudos Bíblicos
Jovens da Suécia conhecem a Leitura Popular da Bíblia
Um grupo de jovens ligados a Igreja Luterana da Suécia esteve visitando e conhecendo o CEBI nos dias 26 e 27 de outubro.
No primeiro dia assistiram a uma apresentação da caminhada do CEBI e da Leitura Popular da Bíblia. Também puderam ouvir do assessor do CEBI, José Luiz Possato Jr., a experiência dele com o trabalho de Leitura Popular da Bíblia com as juventudes. Além disso, refletiu com o grupo o texto de Amós 8,4-8, na ótica juvenil.
Num segundo momento, ouviram o depoimento de Jaiane Kroth, jovem estudante de teologia, que contou sua experiência com a leitura feminista e de gênero enquanto mulher e jovem.
As duas coisas que os deixaram muito surpresos: 1) números sobre a realidade juvenil, em especial os números da violência contra jovens; 2) ficaram impressionados com a possibilidade de trabalhar a Bíblia nas perspectivas juvenil e feminista.
No segundo dia assistiram, em sueco, a uma apresentação do trabalho do CEBI junto aos povos indígenas, em especial no Mato Grosso do Sul. Neste momento, foram informados sobre a busca do trabalho que o CEBI desenvolveu acerca da espiritualidade dos povos originários e como o monoteísmo afetou essa espiritualidade.
 
A partir disso, Ildo Bohn Gass, conduziu um pequeno estudo sobre o politeísmo do Antigo Israel antes de Javé se tornar o único Deus a partir do exílio babilônico, abordando, inclusive, a presença de Asherah, a Deusa Mãe, nos textos bíblicos.
Peter, um dos jovens suecos, comentou: “o momento de trabalho com Jaiane e Possato foi inspirador, uma vez que foi possível ver que cidadania e religião podem andar juntas. Lá na Suécia essas questões são trabalhadas separadamente”.
Outra jovem manifestou sua agradável surpresa com o resgate da presença da Deusa no Antigo Israel, da importância de se fazer a experiência com o sagrado de forma equilibrada quanto à questão de gênero. Assim, estaremos contribuindo com a superação da violência de gênero. Disse que, na Suécia, está-se fazendo o debate da igualdade de gênero, mas sem fazer esse resgate do culto à divindade no Antigo Israel, seja com rosto feminino como masculino.
Ao final do encontro, os e as jovens partilharam sua alegria em poder conhecer essa metodologia de trabalho, dizendo que o conteúdo visto nesses dois dias foi inspirador e revelador.