Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

Grupo de Estudos sobre Teologia Feminista e Bíblia da Paraíba

Grupo de Estudos sobre Teologia Feminista e Bíblia da Paraíba
18 de dezembro de 2020 Comunicação

“Companheira me ajuda, que eu não posso andar só. Eu sozinha ando bemmas com você ando melhor”.

Na noite de quarta-feira, dia 16 de dezembro de 2020, aconteceu o Primeiro Encontro do Grupo de Estudos sobre Teologia Feminista e Bíblia da Paraíba, articulado por 6 mulheres, são elas: Edna Nascimento Silva, Elinaide Carvalho, Glória Carneiro, Jardene Soares, Jéssica Silva e Juliana Henrique. O encontro foi realizado pela Plataforma Virtual Meet.

O grupo é fruto de encontros do Centro de Estudos BÍblicos – CEBI JP/PB, da X Semana Teológica Padre José Comblin e da ONG Católicas pelo Direito de Decidir, com seus respectivos temas: ‘Hermenêutica e Espiritualidade Feminista (2019)’, ‘Comunidades cristãs e a construção da democracia na perspectiva da hermenêutica feminista (2020)’, ‘Por que e para que uma teologia feminista? (2020)’ e ‘Curso de Hermenêutica Feminista com e para Ativistas (2020)’.

Composto por uma diversidade de mulheres: encontro intergeracional, do campo e da cidade, negras/pretas, pardas, brancas, indígena, juremeira, candomblecista, católicas, evangélicas, várias fontes de espiritualidade, religiosas e ativistas, mulheres de partido, lésbicas, bissexuais e heterossexuais… A partir dessa realidade, almejamos seguir desconstruindo fundamentalismos e construir/apoiar políticas públicas, de forma atenciosa e urgente, para meninas, mulheres e natureza.

Tais mulheres integram: as Pastorais Sociais, o Centro de Estudos Bíblicos – CEBI PB, Representante do Povo Quilombola do Ipiranga e liderança Jovem do Povo Tabajara da Zona da MataComissão Pastoral da Terra – CPT, Associação Articulação da Juventude Camponesa – AJC, CatequistaGrupo Jovem Unidos pela Fé do AssentamentoPastoral da Juventude Rural – PJR, Práticas Integrativas de Sáude e Educação PopularFórum da Diversidade Religiosa da ParaíbaMovimento Negro Evangélico – PB, Movimento Renovar Nosso MundoFrente de Diversidade Religiosa – PB, Assentamento da Reforma Agrária em Sapé-PB, Lutas Populares Camponesas e AgroecológicasTerapeuta HolísticaCoordenação Paroquial das JuventudesMilitante do PSOLPequenas Comunidades Inseridas no Meio Popular – Pcis, Marcha Mundial das Mulheres – MMM, Rede um Grito pela VidaComitê Municipal de Mortandade Materno Infantil, entre outros que ainda não se apresentaram.

Veja o vídeo da mística do Primeiro Encontro do Grupo de Estudos sobre Teologia Feminista e Bíblia da Paraíba AQUI

 

  Agora, segue o poema que foi construído pelas companheiras para a mística.

SEMENTE GERMINADA

Jardene Soares

Jéssica Silva

 

Da luta não fugimos

Somos sementes germinadas

Para continuar a luta

Seguiremos organizadas

 

 É com muita alegria

Que iniciamos este grupo

De estudos e bíblia

Na perspectiva feminista

Sintam-se todas acolhidas

Será uma grande experiência

Na luta por igualdade e justiça

Discutiremos nossas vivências

 

A flor do mandacaru nos ensina

Que mesmo em tempos de sequidão

É possível ter resistência

À nossa mãe terra gratidão

 

Gratidão! Ó mãe Terra!

Que nutre, sustenta

E com sua força alimenta

De tantas mulheres a vida

No campo e na cidade

Nas comunidades indígenas

Nas comunidades quilombolas

E periferias da vida

 

Da luta não fugimos

Somos sementes germinadas

Para continuar a luta

Seguiremos organizadas

 

Com os pés descalços, saudamos

Nossa ancestralidade feminina

Mãe preta, Yemanjá, Nanã

Rita, Josefa e Francisca

 

Mulheres indígenas

Marias valentes

Margaridas variadas

Dandaras presentes

 

A flor do mandacaru nos ensina

Que mesmo em tempos de sequidão

É possível ter resistência

À nossa mãe terra gratidão

 

À nossa ancestralidade

Toda honra e agradecimento

 De um mundo mais justo

Façamos um só sentimento

Em coletivo, mulheres feministas

Não é mais tempo de resistir

É tempo de agir

E esperançar mudanças

 

Da luta não fugimos

Somos sementes germinadas

Para continuar a luta

Seguiremos organizadas

 

Texto elaborado por Juliana Henrique, CEBI Paraiba

 

 

Por Juliana Henrique