Bem vindo(a) ao CEBI ! (51) 3568-2560

CEBI PB: Comunidades cristãs e a construção da democracia na perspectiva da hermenêutica feminista.

CEBI PB: Comunidades cristãs e a construção da democracia na perspectiva da hermenêutica feminista.
13 de março de 2020 Zwei Arts

Durante os dias 28 e 29/02 e 01/03, estiveram no Centro de Formação Elisabeth e João Pedro Teixeira em Lagoa Seca, cerca de quarenta e cinco pessoas de diversas cidades da Paraíba: Campina Grande/São José da Mata, Guarabira, Itabaiana, João Pessoa, Uiraúna, jovens da PJR das cidades de Boqueirão, Monteiro, São Domingos do Cariri e São João do Tigre e da Acajaman de Alagoa Nova.

Este final de semana foi de partilha e de reflexão, tendo como tema Comunidades cristãs e a construção da democracia na perspectiva da hermenêutica feminista. Tema este, facilitado por Isabel Félix, que possibilitou diversos debates em torno da democracia, desde seu contexto na Grécia antiga e os moldes em que ela se insere no Brasil; leitura feminista da bíblia, a suspeita sobre o texto escrito e de que forma a mulher foi tornada invisível ou pouco visível.

A facilitadora utilizou muitas discussões em grupo, possibilitando uma maior interação entre as diferentes regiões do CEBI-PB e incentivou a releitura do texto de Mt 15, 21-28 de forma que expressassem ao máximo sua criatividade.

Abaixo, temos um pouco da impressão de algumas das participantes desse encontro:

A temática do encontro nos proporcionou um bom diálogo e isso foi fantástico, pois facilitou a interação dos participantes e a metodologia utilizada foi bem flexível nos instigando a nos aprofundar  e nos inquietando a cada provocação, porque o objetivo do aprendizado nessa nova perspectiva foi desconstruir, vivenciar e reconstruir de uma nova forma, enxergando noutra ótica. Pessoalmente, amei conhecer e me estimulou a tentar vivenciar a hermenêutica feminista mesmo diante do pouco contato que tivemos com a prática. (Isabella Paulino, de Campina Grande)

Nós de Itabaiana, gostamos desse jeito de ler e interpretar textos bíblicos de uma forma diferente, desconstruindo e reconstruindo o texto. Confessamos que foi maravilhoso estar em sintonia com pessoas de pés no chão, capazes de olhar para a realidade de hoje e com jovens que estão na luta contra a injustiça, força governamental… Partilhar conhecimentos sobre Democracia nos fez perceber que a mesma vai além daquilo que imaginamos. Enfim, foi mais uma experiência incrível, motivadora e profunda. Que venha a próxima etapa! (Cícera Cristina, de Itabaiana)

A contextualização histórica do surgimento da democracia, foi o pontapé para os estudos bíblicos com propósito de nos fazer desconstruir e reconstruir nossa visão sobre a bíblia, não com uma leitura fundamentalista, mais sim com um método livre de dogmas patriarcais; foi um momento de grande importância para todos ali presentes, partilhamos muitos saberes e trouxemos para nossas bases uma bagagem carregada de sabedoria. (Vanessa Chagas, PJR Monteiro)

Em seguida, trazemos as obras de releitura, feitas pelas participantes e pelos participantes:

Cananeia de grande fé
(Kefren Kelsen, Vanessa Chagas)

Se a palavra é verbo
E o espírito sopra onde quer
Aí eu te pergunto
Por quê se exclui a mulher?

No texto é a cananeia
Que Deus reconhece a fé
Porém nos dias de hoje
Eu te pergunto quem é

Tratada como invisível
Maluca e sem saber até
Gritou pela sua causa
A cura da filha é

Ainda hoje nos vemos
Como aquela mulher
Que não perdeu a esperança
Sabendo o que ela quer

Cobrar de Deus a justiça
Mostrando a ele sua fé
E dizendo à sociedade
O rumo dela qual é

Pega a visão da Cananéia
(Lenon Silva)
Versão da música Mulheres, interpretada por Martinho da Vila

Relendo o texto, da mulher cananéia, viajo no tempo e aprendo com ela. Eu vejo Jesus na cidade de Tiro, pegando a visão da mulher não hebréia!

Mulher de nobreza tão refinada, de sina tão triste, não desiste jamais, insiste, resiste como o mandacaru do Sertão sempre faz!

Procurei em toda narrativa inclusão, liberdade, vejo cananéias na sociedade, valor libertário que alcançou a mim!

Na mulher, visão feminista do Evangelho da graça, transforma a nossa vida na casa, na praça. É essa   humanidade que eu sonhei pra mim!

Jesus salvador aprendendo com ela, sensível amplia a visão de Evangelho, escreve na alma da comunidade que a inclusão gera a liberdade!

Mateus entendeu e fez um mutirão de mentes abertas à criticidade, pegou a visão e tornou Evangelho, na comunidade!

Procurei em toda narrativa inclusão, liberdade, vejo cananéias na sociedade, valor libertário que alcançou a mim!

Na mulher, visão feminista do Evangelho da graça, transforma a vida na casa, na praça. É essa   humanidade que eu sonhei pra mim!

E agora CEBI é a nossa vez como cristãs, mulheres da vez, também como homens, inclusivos e abertos, beber da visão que liberta o ser!

E nunca deixar que os sistemas da morte nos roube a visão da mulher cananéia. Com ela nós somos a comunidade, amantes da liberdade!

Procurei em toda narrativa inclusão, liberdade, vejo cananéias na sociedade, valor libertário que alcançou a mim!

Na mulher, visão feminista do Evangelho da graça, transforma a nossa vida na casa, na rua, na praça. É essa humanidade que eu sonhei pra mim!

Por Kefren Kelsen e Ulisses Willy