Orações

Saudade [João Adão Nunc-nfoônro de Almeida]

Saudade [João Adão Nunc-nfoônro de Almeida]
O poema abaixo é a fala de um indígena relembrando aspectos da cultura, da gente e da natureza.

Saudade do índio, sentado no chão,
Em volta do fogo, comendo pinhão.
Saudade do cântico, que o kujá cantava,
E de todo povo, que alegre dançava.

Saudade da mata, por onde andavam,
Saudade da caça, que a todos tratavam.
Saudade do mõg, que o índio bebia,
Saudade das festas, tudo era alegria.

Saudade do fogo, que o índio acendia,
Saudade das danças, grande era a alegria.
Saudade do rio, onde as crianças nadavam,
Saudade dos peixes que os índios alimentavam.

Saudade das festas, e dos casamentos,
Sempre em luas cheias, era um grande evento.
Saudade de tudo, que o índio usava,
E a tradição sempre continuava.

Saudade da terra, que foi invadida,
Saudade da mata, que foi destruída.
Saudade da relva, que o fogo queimou,
Saudade de tudo que o tempo apagou.

Saudade do ouro e do pau brasil,
Saudade de tudo, que daqui sumiu.
Saudade do índio que o branco matou,
Com esta Saudade para o tumulo vou.

 ___*___

Fonte: O material foi retirado do caderno produzido para a Semana dos Povos indígenas de 2016. A publicação, Laklãnõ/Xokleng: O povo que caminha em direção ao sol, é uma realização do COMIN em parceria com a Secretaria de Formação da IECLB.
situs judi bola AgenCuan merupakan slot luar negeri yang sudah memiliki beberapa member aktif yang selalu bermain slot online 24 jam, hanya daftar slot gacor bisa dapatkan semua jenis taruhan online uang asli. idn poker slot pro thailand

Seu carrinho está vazio.

mersin eskort