Bem-vindo ao CEBI! (51) 3568-2560 | [email protected]

Pastor luterano reflete sobre o tempo da Quaresma: Das cinzas à ressurreição!

Pastor luterano reflete sobre o tempo da Quaresma: Das cinzas à ressurreição!
15 de fevereiro de 2018 Centro de Estudos Bíblicos
“Em sinal de tristeza, eu vesti saco de pano grosseiro, sentei-me sobre cinzas, deixei de comer e orei com fervor ao Senhor Deus, fazendo pedidos e súplicas” (Daniel 9.3)
Na quarta-feira de Cinzas começa o tempo da Quaresma.

Por que fala-se em quarta-feira de Cinzas?

A cinza simboliza, tanto em Daniel quanto em outras passagens bíblicas, transitoriedade, súplica, grito de socorro, arrependimento e contrição (Et 4.1; Jó 42.6; Mt 11.21).
A Igreja Católica adotou este símbolo ao longo de sua história. Na Quarta-feira de Cinzas os fiéis recebem o sinal da cruz na testa com cinza. É um sinal visível de contrição, súplia e arrependimento, de preparo para o tempo da Quaresma.
Entre os luteranos a Quarta-feira de Cinzas não têm a mesma relevância. Porém, este tempo da Quaresma, que começa na Quarta-feira de Cinzas, também é um tempo de extrema importância na vida de fé dos Luteranos. Tempo que chama a reflexão e ao arrependimento. Tempo que nos lembra o início de um grande gesto de amor de Deus por nós: A caminhada de sofrimento, dor, crucificação e morte de Jesus Cristo na cruz para nos libertar da escravidão do pecado e da morte. Começa o período que nos permite refletir sobre atitudes que incendeiam, violentam e deixam a vida em cinzas.
A crise que está abalando o nosso país, deixa, por exemplo, muitas vidas em meio às cinzas. Deixa pessoas nas cinzas do desemprego. Deixa pessoas nas cinzas da angústia, do desespero, da miséria. Também o conflito na Síria deixa tantas pessoas em meio à escombros e cinzas, tantas pessoas em fuga sem lar e amparo. Também o ódio crescente no mundo contra imigrantes transforma a vida em cinzas. Também a crescente ambição humano por poder, status, transforma nossos rios e nossa natureza em cinzas. A concentração de riqueza nas mãos de poucos também faz com que a vida de milhares de pessoas seja reduzida a cinzas e pó.
Por todas essas situações que afligem a vida, “em sinal de tristeza”, a quaresma nos chama a orar. Nos chama a contrição, a súplica, pedidos e, sobretudo arrependimento. Nos chama e convida a buscar uma nova relação com o próximo e a criação. Se não nos voltarmos de coração a Deus, assim como Daniel se voltou, estaremos cada vez mais transformando a vida em cinzas.
Quaresma nos lembra que a cruz que mata e deixa a vida em cinzas não tem a última palavra. Em João 14.19 Jesus Cristo diz: “E, porque eu vivo, vocês também viverão”. Para aquele que crê em Jesus Cristo a vida não é e não será cinza. Para o que crê quaresma é tempo para cuidar da vida como Cristo cuidou. Quaresma é tempo para lembrar que Cristo caminha conosco em nossos sofrimentos e angústias e nos quer, com a força do seu Espírito Santo, na sua seara para praticar a sua justiça, o seu amor, o seu perdão, a sua reconciliação e a sua compaixão. Quaresma lembra que o que começa em cinzas termina, graças a Deus em Cristo, em ressurreição.