Bem-vindo ao CEBI! (51) 3568-2560 | [email protected]

CEBI-GO: Reflexão sobre gênero anima o Grupo de Vivência Ecumênica

CEBI-GO: Reflexão sobre gênero anima o Grupo de Vivência Ecumênica
11 de agosto de 2017 Centro de Estudos Bíblicos

O Grupo de Vivência Ecumênica de Goiânia  reuniu-se no dia 31 de julho de 2017 para refletir sobre o papel das mulheres nos cristianismos originários.

O encontro foi mediado pela Ana Maria Tomaz. Ela motivou as pessoas a refletir que, apesar de na igreja primitiva as mulheres terem participado na evangelização, elas foram diminuídas na reconstrução da memória do movimento de Jesus.

Todavia é possível perceber que mesmo inferiorizadas, elas atuaram de tal forma que não foi possível invisibilizá-las (feito as mulheres da Reforma Protestante).

Em tempos de perseguição, sobretudo por parte do império romano, elas também foram perseguidas e presas. Assinalou-se que isso não ocorre pelo simples fato de alguém se dizer cristã, mas pelo compromisso assumido com o Evangelho de Jesus Cristo.

Nas ponderações, as obras de Lídia e Tabita foram associadas aos princípios da Educação Popular e da Economia Solidária (solidariedade, cooperação, autogestão, trabalho e convivência como momentos de troca de saberes, resistência contra as injustiças e etc.).

O grupo de Lídia (At 16, 11-15) é caracterizado por “casa”, da qual ela é a líder. Um grupo que vivia e trabalhava em conjunto (na cidade de Filipos), e em conjunto também celebrava a fé. A casa de Tabita, na cidade portuária de Jope, não é muito diferente, pois uma pequena comunidade de viúvas se reunia por lá (At 9, 36-43).

Destaca-se que Tabita praticava a diaconia, abrigando as viúvas em sua casa e, junto com elas, e não para elas, confeccionava tecidos e roupas. Aqui, a Ana Maria destaca que movida pela fé em Cristo, Tabita “concretizava no grupo um dos direitos sociais vigentes na tradição judaica, que era cuidar das viúvas”.

Dessa forma, ela permanece viva na memória do povo.

O encontro contou com a participação de 14 pessoas, sendo 13 mulheres e 1 homem. Deste total, quatro jovens. Denominações cristãs presentes: Batista, Luterana (IECLB) e Católica Romana.

Fonte: Texto de Múria, do Grupo de Vivência Ecumênica, 10/08/2017.