Bem-vindo ao CEBI! (51) 3568-2560 | [email protected]

CEBI-PA Escola bíblica da juventude reúne regiões episcopais de Belém

CEBI-PA Escola bíblica da juventude reúne regiões episcopais de Belém
17 de maio de 2017 Centro de Estudos Bíblicos
Juventude do CEBI-PA

Nos dias 21 e 22 de abril de 2017 foi realizado o 9° módulo da escola bíblica da juventude, em Belém do Pará. Das sete regiões episcopais da arquidiocese de Belém, seis estiveram presentes. No total, 38 jovens inscritos, além dos visitantes.

Nesta etapa o estudo foi sobre o Apóstolo Paulo, suas viagens e seus escritos. O encontro foi assessorado por Tea Frigerio, Zolema e Josias.

Com uma oração da manhã, deu-se início o encontro que contou com a assessoria de Tea Frigerio, Zolema e Josias, todas e todos do CEBI-PA. Ir. Tea apresentou o apóstolo Paulo como um cidadão cujo trabalho de evangelização se dá nas cidades. Paulo foge de todo o sistema Judaico, Romano e faz um seguimento de Jesus fidedigno, fundando comunidades e acolhendo como seus companheiros de missão, homens e mulheres como iguais, quebrando tabus acolhendo estrangeiros, escravos e negros sem distinção, se incluindo na lógica do projeto de Deus, revelado no Cristo.

Revendo a Bíblia

Na sequência, as pessoas participantes trouxeram algumas inquietações a respeito de Paulo, questões sobre aparente contradição de espírito x carne, machismo quando diz que as mulheres devem ser submissas aos maridos, escravocrata quando manda Onésimo de volta a Filemon, castidade e outros temas. Essas inquietações foram respondidas pela Ir Tea quando ela mostrou as cartas autênticas de Paulo, assim como as dos seus discípulos e as cartas não autênticas.

No período da tarde o grupo foi dividido em três, e cada um ficou com as passagens de Atos dos Apóstolos referentes às viagens de Paulo e sua equipe. Na tarefa os grupos destacaram, em cartolina, a cidade por onde passou, as pessoas com quem trabalhou e os conflitos que enfrentou nestas localidades.

Juventude do Cebi Pará

Na análise percebeu-se que Paulo nunca trabalhava sozinho, que valorizava sua equipe, que os tratava em pé de igualdade, não havendo diferença alguma entre homens e mulheres. Também que não era xenofóbico, pois tratava os estrangeiros como irmãos e anunciava a eles a boa nova do Cristo. Ele cuidava dos empobrecidos de sua sociedade, pescadores, prostitutas, escravas, crianças estrangeiras, viúvas. Todos e todas tinham vez e voz nas comunidades fundadas por Paulo.

No sábado foram trabalhadas as cartas autênticas de Paulo pelos jovens que foram descobrindo a riqueza de cada carta, para quem foi enviada, qual seu objetivo, o que denunciava ou advertia. Os/as jovens trouxeram muitos elementos importantes e Ir. Tea, com sua sapiência e paciência, foi mostrando e respondendo às dúvidas ou ajudando eles/elas próprios/as a responder. Na parte da tarde, conforme o tema tralhado pela manhã, cada grupo reescreveu as cartas de Paulo e direcionou às comunidades, bispos, padres e até a própria coordenação da Pastoral da Juventude (PJ). O encontro foi encerrado com uma linda celebração a partir das cartas dos jovens.

Em agosto tem mais. Paz e bem e muito axé.

Fonte: Texto enviado por Josias Alves, do CEBI-PA.